Fisioterapia para olfato: Tratamento cresce entre pacientes com sequelas pós-covid

Voltar a sentir o cheiro das coisas vem sendo um desafio para muitas pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2

1
Banco de Imagens: Unsplash

A perda do olfato é uma das sequelas mais recorrentes dos pacientes infectados pela Covid-19. De acordo com um estudo na Europa publicado no Journal of Internal Medicine, entre os mais de 2 mil pacientes internados em 18 hospitais com o Sars-CoV-2, 80% perderam o olfato.

Ainda segundo a pesquisa, 75% desses indivíduos recuperam a função após 21 dias da infecção, já os outros 5%, seguiram com a sequela, que pode perdurar por tempo variado.

Visto que tudo relacionado à Covid-19 é muito novo e com poucas confirmações, alguns pesquisadores acreditam, que esta consequência se dá, pelo fato da mucosa nasal ser extremamente afetada pelo coronavírus.

A mucosa nasal possui diversos neurônios que captam os cheiros e enviam ao cérebro para eles serem decodificados. Visto que o Sars-CoV-2 penetra pelas vias aéreas, ou seja, pelo nariz, eles acreditam que o vírus acaba infectando a mucosa, destruindo o receptor e as moléculas dos neurônios encarregados de receber essas informações. O resultado disso: a perda do olfato, também conhecida como anosmia.

Também há duas outras hipóteses, uma relacionada ao inchaço ou edema nas terminações nervosas do nervo olfatório, como acontece nos casos de sinusite, gripes e resfriados e a outra devido à possibilidade do coronavírus agir no tronco cerebral, região este que sai o nervo olfatório.

Vale destacar, que apesar de muitas pessoas recuperarem a capacidade de sentir o cheiro naturalmente, outras acabam tendo que recorrer a tratamentos específicos, como é o caso da fisioterapia para o olfato ou de cheiro, como também é chamda.

Leia também: Pessoas que tiveram coronavírus podem perder o olfato pra sempre

Como funciona a fisioterapia de cheiro?

Banco de Imagens: Unsplash

A fisioterapia de cheiro, nada mais é do que uma sequência de exercícios simples, que podem ser feitos em casa mesmo, a fim de reeducar o olfato e logo, recuperar esta função tão importante ao ser humano.

Essas técnicas devem ser realizadas com o auxílio de aromas marcantes e presentes no cotidiano. É importante variar esses aromas e utilizar seis diferentes por dia.

Para iniciar a fisioterapia de cheiros, mantenha o frasco com o aroma próximo:

  • Respire por cerca de 10 segundo. A respiração deve ser feita apenas pelo nariz;
  • Para potencializar os efeitos no cérebro, você pode repetir o nome daquele elemento, como por exemplo: café;
  • Logo após, espere uns 10 segundos para dar continuidade à sequência de aromas.

Especialistas destacam que é preciso praticar estes exercícios diariamente, duas vezes ao dia.

Dessa forma, todas as vias respiratórias e cerebrais são estimuladas, reaprendendo a função do olfato e evitando sua atrofia.

Além disso, a melhora é gradativa, portanto, mesmo que demore a sentir os efeitos, o paciente deve persistir nesta reabilitação extremamente eficiente.

Outros tratamentos para a recuperação do olfato

Além da fisioterapia de cheiros, há outros tratamentos que visam à recuperação do olfato indicadas para pacientes pós-covid.

Entre elas, uso de medicamentos anti-inflamatórios e manipulados são as mais comuns. Estas também podem ser associadas à fisioterapia de cheiro, a fim de potencializar e acelerar os resultados.

A higienização das vias aéreas com soro fisiológico também é muito importante, durante este período, pois além de hidratar a mucosa, remove qualquer impureza inalada durante a fisioterapia de cheiro, entre outras secreções produzidas naturalmente.

Veja também: Covid-19 e neurologia: o que a ciência diz até aqui e quais estudos estão em andamento

 

 

 

 

Leia Também:

1 comentário
  1. […] Leia também: – Fisioterapia para olfato: Tratamento cresce entre pacientes com sequelas pós-covid […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.