Financiamento imobiliário com recursos da poupança dispara 172,7% em março

Valor financiado no primeiro trimestre de 2021 soma R$ 43,1 bilhões

1

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) reportou que o crédito imobiliário com recursos provenientes das cadernetas de poupança no Brasil disparou em março. O aumento explosivo de 172,7% em relação a março de 2020 fez o montante alcançar R$ 18,35 bilhões.

De acordo com a Abecip, esse foi o maior valor já registrado pela série histórica iniciada em 1994. Esse valor de março também superou o montante obtido em fevereiro, mas de maneira menos intensa (47,4%). A saber, a Abecip divulgou ontem (28) os dados.

A título de comparação, os valores registrados em janeiro e fevereiro deste ano chegaram a R$ 12,3 e R$ 12,5 bilhões, respectivamente. Assim, o valor financiado no primeiro trimestre de 2021 somou R$ 43,1 bilhões, o que representa um crescimento de 112,8% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Além disso, o montante do financiamento nos últimos 12 meses totalizou R$ 146,81 bilhões. Isso equivale a uma disparada de 76,1% na comparação com os 12 meses imediatamente anteriores. A propósito, os valores vêm superando os R$ 10 bilhões desde junho do ano passado.

Veja mais detalhes dos financiamentos em março

A Abecip também reportou que houve o financiamento de 81,9 mil imóveis em março. Nesse caso, a modalidade aquisição e construção respondeu pelo maior número de unidades financiadas em um único mês, sendo o destaque de março.

Aliás, o segmento registrou um avanço expressivo de 61,8% em relação ao mês anterior. Já na comparação interanual, com março de 2020, o crescimento foi ainda maior, de 219,4%, segundo dados da Abecip.

Por fim, a associação informou que 187,6 mil imóveis foram financiados nos três primeiros meses de 2021. Esse valor representa uma disparada de 137,3% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado. Já em relação ao acumulado nos últimos 12 meses, houve o financiamento de 535,3 mil imóveis. Nesse caso, o crescimento chegou a 70,8% ante os 12 meses anteriores.

Leia Mais: Confiança da indústria emenda quarta queda seguida, aponta FGV

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.