Filhos de Cid Moreira afirmam que pai “virou refém” da esposa

Roger e Rodrigo Moreira pedem a reabertura do processo de divisão de bens

0

Roger e Rodrigo Moreira, filhos de Cid Moreira, entraram com um processo para a reabertura da divisão de bens do jornalista. De acordo com o colunista Léo Dias, nesta sexta-feira (3), eles alegam que o pai “virou refém” da atual esposa, Maria de Fátima.

Yasmin Brunet se revolta ao ser acusada de ter inveja de Jade Picon: “Nível da pessoa”

Na reabertura do inquérito, afirma-se: “Pois, em tese, CID MOREIRA se encontra praticamente refém da atual esposa”. Roger e Rodrigo voltam a acusar a madrasta de ‘dilapidar’ a fortuna do ex-âncora do ‘Jornal Nacional’, da TV Globo, transferindo o patrimônio dele para contas privadas. Além disso, Maria é denunciada por, supostamente, deixar Moreira sem se alimentar e sem suas medicações.

Em abril deste ano, contudo, os irmãos pediram a prisão de Cid, alegando que sofreram desde trabalho infantil até homofobia. Em nota, o advogado Fernando Ayres Britto garantiu que Roger é quem acabaria preso por fazer diversas acusações infundadas sobre o comunicador.

Relembre as acusações de Roger

Roger Moreira voltou a confirmar, em relato enviado ao colunista Léo Dias, em abril deste ano, que foi expulso da casa de Cid Moreira, seu pai adotivo, após se revelar homossexual. O empresário pedia a prisão do jornalista, de 94 anos de idade, por supostas práticas de homofobia e de infrações do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

“Quando um dia resolvi me declarar gay, aos 29, eu esperava receber o apoio em casa. No primeiro momento, parece que ficou tudo bem. Mas, pouco tempo depois, fui colocado pra fora de casa e demitido dos trabalhos da Bíblia. Eles tinham medo de como as pessoas iriam ver um gay gravando a Bíblia”, garantiu Roger, que fazia gravações do livro sagrado para o pai.

Roger diz que, antes de ser expulso, ele gravava passagens da Bíblia recebendo apenas R$300 de mesada: “Nunca dependi de nenhum centavo do Cid Moreira para sobreviver. Aliás, na maior parte da minha vida com ele, eu recebia uma mesada de R$ 300 que depois de muitos anos passou a ser R$ 1 mil. Nunca recebi nenhuma fortuna, como talvez possam pensar”.

“É muito triste ver os comentários desta gente me chamando de ‘vagabundo, filho de satanás, ele tem pai e mãe vivos, isso nem filho de sangue, é só dinheiro, ele é adotado, devolve ele, isso que dá adotar, por isso que não adoto, ele que tem que ser preso, ele merece uma surra’, e por aí vai a ignorância do ser humano…”, finalizou.

Veja também: “Todo mundo que xinga o eleitor de Bolsonaro de escroto está ajudando a elegê-lo”, afirma Tiago Leifert

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.