FGV aponta que PIB recuou 4% no trimestre encerrado em julho

Na comparação com junho desde ano, a economia avançou 2,4% no mês; em relação ao trimestre encerrado em julho de 2019, o PIB recuou 8,9%

0

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou, hoje (16), que o PIB recuou 4% no trimestre que terminou em julho, na comparação com o trimestre findo em abril.

O Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de todos os bens e serviços que um país produz e serve para medir a economia.

De acordo com o Monitor do PIB, a economia brasileira recuou 8,9% na comparação com o trimestre encerrado em julho de 2019.

Porém, na análise somente do mês de julho, houve avanço de 2,4% na comparação com o mês anterior. Por outro lado, o PIB recuou 6,1% em relação a julho de 2019.

Por que o PIB recuou?

Conforme detalhou a FGV, o consumo das famílias recuou 10,1% no trimestre que terminou em julho na comparação com o mesmo período de 2019. Do mesmo modo, os investimentos caíram 7,8% e as importações recuaram 20% no período. Por outro lado, as exportações cresceram 4,9%.

“A economia segue em trajetória de crescimento no mês de julho. Após ter em abril o seu pior momento econômico, reflexo da pandemia de Covid-19, é possível enxergar considerável melhora em todas as atividades econômicas”, afirmou em nota Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Porém, conforme ressaltou, o país “segue com cenário de alta incerteza e com o nível de atividade em patamar ainda muito baixo e se recuperando muito lentamente”.

O Monitor do PIB analisou, de forma especial, a saúde. Segundo o levantamento, a saúde pública recuou 15,6% em julho, na comparação com julho do ano passado. Já a saúde privada retraiu 23,9% no mesmo tipo de comparação. As quedas se justificam porque, durante a pandemia do novo coronavírus, os atendimentos eletivos diminuíram.

Fique por dentro de todas as notícias sobre Economia no Brasil123.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.