Feminismo e femismo: qual a diferença entre os termos?

3

Em suma, o feminismo é um movimento político e filosófico que defende os direitos iguais entre homens e mulheres. Esse pensamento surgiu juntamente com a revolução francesa que trazia consigo máxima de “Igualdade, Liberdade e Fraternidade”. Ficou ainda mais intensificado com o surgimento de novas tecnologias no século XIX. As mudanças sociais causaram revoltas e novas ideologias começaram a existir, sendo as mais famosas o comunismo e o socialismo.

Entretanto, o mesmo não pode ser dito sobre o femismo, que é um movimento contraditório ao machismo. Esse movimento é sexista e deseja impor as vontades de mulheres sobre a de homens. Pela aparência e aproximação dos termos, fez-se com que muitas pessoas criassem a confusão e misturassem o feminismo com o femismo.

Feminismo: mudando a vida masculina

Atualmente, existem homens que se identificam com as pautas feministas. Muitas delas ainda abordam sobre a sexualidade do homem e como ele é criado para ser uma “máquina”. Como causa disso, muitos sofrem em silêncio ao desenvolverem impotência sexual ou ejaculação precoce. Vale ressaltar ainda que o número de mortes por suicídio é ainda maior porque boa parte deles preferem sofrer em silêncio que buscar a verdadeira ajuda profissional.

Uma autora que impulsionou os ideais do movimento foi Simone de Beauvoir. Em meados da década de 60, surgiu uma de suas obras mais famosas que é “Segundo Sexo”. Neste livro, a filósofa e socióloga busca os motivos de opressão feminina em várias culturas divergentes entre si.

Foi justamente depois disso que surgiu o feminismo radical. Um pensamento que defende a ideia de “exterminação” para que a sociedade patriarcal possa desaparecer. Algumas ainda defendem a necessidade de quebrar a legislação de um determinado país para fornecer mais direitos às mulheres.

Além de Simone, existe a pintora Frida Kahlo. Apesar de nunca haver se intitulado com estes termos, suas obras transbordam valores explícitos de momentos em que teve a necessidade de se impor contra algumas regras. Seu modo de vestir e ser era únicos e que iam contra os padrões de beleza da época. Em 1928, entrou para o Partido Comunista Mexicano, onde conheceu o marido Diego Rivera. Este, mais tarde, causaria conturbações na união através de traições. Frida também teve relacionamentos amorosos e um deles foi com Leon Trótski, revolucionário na Guerra Civil Russa.

Enfim, como você pode ver, o feminismo não é o oposto do machismo. O oposto seria o femismo que busca prevalecer as mulheres sobre os homens, mesmo que utilizando a violência.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.