Estudo diz que vacina da Pfizer é eficaz contra mutação da Covid-19

0

Estudos dizem que a vacina da Pfizer/BioNTech, que está sendo distribuída atualmente na União Europeia, pode ser efetiva contra a nova mutação do coronavírus, detectada no Reino Unido. 

Nova variante da Covid-19 preocupa pesquisadores

Desde que a mutação surtiu, cientistas estão preocupados, pois as vacinas fabricadas até o momento não contavam com a nova variante. No entanto, nada está totalmente concluído sobre esse assunto. É uma grande corrida contra o tempo. Por um lado, a necessidade de frear a contaminação do vírus e garantir imunidade para a população, por outro lado, a necessidade de criar vacinas realmente eficazes contra as variantes e que sejam seguras.

O estudo testou a vacina com 20 variantes

O estudo foi feito pela farmacêutica BioNTech, em parceria com pesquisadores da University of Texas Medical Branch. Além disso, o CEO da BionTech, Ugur Sahin, garante que a vacina foi submetida à teste com outras 20 mutações virais.

Para a mídia, ele garantiu que o imunizante tem resposta imune para a variante, e que ela inativa todas as formas do vírus da Covid-19.

Grande parte dos imunizantes tiveram suas produções iniciadas antes das novas mutações surgirem. É por isso que nem todas as fabricantes prometem eficácia para as variantes. Por isso, também, não se sabe ao certo até onde a imunidade irá, até que ponto a vacina será eficaz, nem quantas doses serão necessárias para uma ampla cobertura de proteção.

Em coletiva de imprensa, ele garantiu que a resposta imune da vacina sempre inativou todas as formas do vírus

Mas e a variante detectada em setembro do ano passado no Reino Unido?

E sobre a variante detectada em setembro, no Reino Unido, a conclusão do estudo ainda vai determinar a eficácia da vacina da Pfizer/BioNTech contra essa nova mutação, e o resultado deve sair nas próximas duas semanas.

Contudo, estudos iniciais já feitos mostram que a eficácia do imunizante possui mais de 90% para o coronavírus. Esse seria um grande progresso para a comunidade científica, e, obviamente, para toda a população, que aguarda ansiosa para que a vida volte ao normal.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.