Estudantes são prejudicados pela distância física

A suspensão das atividades presenciais nas escolas tem dificultado a aprendizagem dos estudantes e causado grande implicação social e emocional.

0

Desde a suspensão das aulas presenciais no início da pandemia no Brasil, em março, os estudantes têm sofrido para acompanhar as aulas e se adaptar aos novos formatos de aprendizagem. Apesar de cerca de 84% das escolas municipais brasileiras terem adotado meios alternativos de entrega das atividades escolares, grande parte dos estudantes ainda é prejudicado pela falta de acesso à internet. De acordo com uma pesquisa da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação com Itaú Social e Fundo das Nações Unidas (Unicef), 460 redes municipais utilizam a internet como única forma de realização das aulas.  

Esse número trata apenas de um recorte, relacionado às escolas municipais. Quando olhamos para o cenário brasileiro, há um número gigantesco de estudantes que não estão conseguindo acompanhar os conteúdos fora das salas de aula. Pois, seja pela necessidade de acompanhar as aulas remotas ou pela falta de recursos para consulta, por exemplo, a aprendizagem dos estudantes está ficando cada vez mais defasada. 

Dessa forma, espera-se que a próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seja a mais desigual de toda a história. Assim, o abismo entre a qualidade do ensino público e privado no Brasil, que sempre existiu, deverá tornar-se ainda maior.

Número de estudantes sem atividades escolares

De acordo com informações do Pnad-Covid, obtidas pelo GloboNews, cerca de 5,8 milhões de estudantes da rede pública estão sem atividades durante a pandemia. Dentre eles, os jovens de 6 a 17 anos não brancos são os que mais foram prejudicados no período. Segundo o levantamento, o número de estudantes negros, pardos e indígenas sem atividades escolares chega a 4,3 milhões. Em contrapartida, o número de estudantes brancos sem atividades escolares é de 1,5 milhão.

Além disso, muitos estudantes sofrem com o distanciamento físico de seus colegas. Sabe-se que a convivência entre as crianças é fundamental para o seu desenvolvimento. Entretanto, com a suspensão das aulas presenciais, os jovens tiveram que se distanciar de seus colegas. Esse distanciamento pode alterar a sua saúde, deixando-os mais ansiosos e implicando em problemas de comportamento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.