Esposa mata o marido e simula assalto em SP

Após o atentado, a dentista tentou convencer a polícia que o marido havia sido atingido por um ladrão, em uma tentativa de assalto

0

Morreu nesta quinta-feira (27) o empresário Bruno Piva Júnior, de 52 anos. O homem veio a óbito depois de ter passado mais de 50 dias internado após ele ter sofrido um atentado feito por sua própria esposa, uma tenente dentista do Exército que atirou nele.

Segundo as informações da Polícia Civil, depois do atentado, a mulher tentou convencer os agentes que atenderam a ocorrência de que o marido havia sido atingido por um ladrão, em uma tentativa de assalto.

No entanto, depois disso, a mulher confessou o crime e disse que era agredida pelo marido e que ele havia desviado dinheiro dela – ela não registrou boletim contra o companheiro. A dentista chegou a ser presa logo após o crime, mas foi liberada na sequência.

O dia do crime contra o marido

Segundo as investigações, o crime aconteceu no começo de dezembro em Praia Grande, no litoral de São Paulo, após uma discussão na residência do casal. À época do caso, agentes da Polícia Militar (PM) foram acionados depois da informação de que um homem havia levado um tiro.

Ao chegar na região próxima a casa em que o casal estava, os policiais encontraram a vítima em uma esquina, com ferimentos no tórax. Depois disso, o homem foi resgatado e internado em um hospital de Praia Grande, onde ficou até ir a óbito.

Após o atentado, a dentista tentou convencer a polícia que o marido havia sido atingido por um ladrão, em uma tentativa de assalto.
Após o atentado, a dentista tentou convencer a polícia que o marido havia sido atingido por um ladrão, em uma tentativa de assalto. (Foto: reprodução)

Simulação de assalto

No dia do crime, testemunhas disseram que havia sido a mulher quem efetuou o disparo. Em contrapartida, a militar, além de negar que tinha uma arma, afirmou que o marido havia sido atingido em uma tentativa de roubo.

Todavia, após uma varredura pela casa, os policiais encontraram uma pistola embaixo de um veículo estacionado na garagem. Foi aí que ela confessou o crime e ainda relatou que o marido tinha armas e munições em casa – os agentes encontraram espingardas calibre 12 e 32 e munições de calibres diversos.

Após o crime, a mulher, que explicou que o marido havia desviado dinheiro dela e que era agredida pelo companheiro, foi presa, mas foi solta e passou a responder por homicídio tentado em liberdade. Todavia, agora, por conta da morte do empresário a tenente será indiciada por homicídio e não mais pela tentativa, como registrado anteriormente.

Leia também: Palmeirenses são condenados por espancar e matar corintiano com barras de ferro

5/5 - (2 votes)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.