Especialistas indicam que coronavírus estava na natureza há décadas

No entanto, nunca havia causado males de saúde nessa proporção

0

Pesquisadores de quatro países estão estudando de onde teria vindo o novo coronavírus, responsável pela pandemia que está colocando o mundo em quarentena desde janeiro e mudando a maneira como o dia a dia é vivido.

Já ficou claro para a maioria deles que a origem desse vírus é o morcego: por alguma razão, ele fica hospedado nesse mamífero, sem causar danos a ele e, até há pouco tempo, sem causar grandes males também ao ser humano.

Contudo, falta responder a questões como: há quanto tempo ele existe? Por que ele escolheu especificamente os morcegos como hospedeiros?

Até agora, com o mapeamento genético de diferentes espécies de morcegos, chegou-se a três possíveis anos de origem desse vírus no mundo: 1969, 1948 e 1982. É possível inferir que o coronavírus está em contato com a humanidade há muitas décadas e, provavelmente, o motivo pelo qual ele tenha passado a atacar o ser humano seria uma mutação.

Os países envolvidos nesse trabalho de mapeamento da origem do coronavírus são Bélgica, China, Estados Unidos e Reino Unido. Contudo, há estudos com o mesmo objetivo em diversos outros lugares do mundo também. Aliás, no caso da averiguação da possibilidade de uma mutação, a pesquisa conta com a Escócia.

Contágio poderia ter acontecido pelo consumo de morcegos?

Quando surgiu a notícia de que os morcegos eram os hospedeiros do novo coronavírus e que este tinha aparecido pela primeira vez na China, país com culinária bastante exótica, logo se passou a considerar que a transmissão para humanos poderia ter se dado pela ingestão da carne desse mamífero.

Porém, os especialistas não afirmam isso e, justamente por ser um vírus do qual se tem poucas informações, não se pode esquecer que o contágio pode ter ocorrido apenas pelo contato direto com os animais, talvez com a sua respiração no mesmo ambiente que uma pessoa.

Por enquanto, há um fator que facilita a criação da vacina, que é o fato de o coronavírus não ter mudado durante esses meses.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.