Era Vargas: resumo, contexto histórico e características

0

A Era Vargas durou cerca de 15 anos enquanto o presidente Getúlio Vargas governava o país. Após tirar Washington Luiz da presidência, tomou o poder e começou seu governo de forma centralizada.

Em suma, resumir o contexto histórico e as caraterísticas é uma tarefa complexa porque ocorreram muitos fatos importantes. Entretanto, o Brasil 123 separou quais os principais para te ajudar a tirar e melhor nota na sua prova de história!

Centralização do poder

Durante o tempo em que esteve governando, centralizou os poderes para que o legislativo ficasse enfraquecido. Isso ficou ainda mais evidente com a chegada do Estado Novo.

Mais políticas trabalhistas

Um dos aspectos positivos da Era Vargas é que atuaram para melhorar as políticas trabalhistas da época. O Ministério do Trabalho foi criado para que pudesse fornecer novos benefícios para os antigos trabalhadores brasileiros.

Publicidade da política

O governo fazia o uso da publicidade e propaganda para divulgar boas ações que realizavam. Em um artigo do Brasil 123, a redatora Natália Daloso aborda sobre a criação do  Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) no dia 27 de dezembro de 1939.

Fim das oligarquias políticas

Durante a República Oligárquica, o Brasil era governado por duas potências políticas, São Paulo e Minas Gerais. Tudo isso sofreu aniquilamentos com a chegada do governo provisório que foi a primeira fase da Era Vargas. As outras duas fases são conhecidas como: Governo Constitucional e  Estado Novo.

Em suma, a última delas é marcada através de um golpe de estado e a mudança da constituição. Assume-se formas de ditaduras para conseguir perpetuar o governo que já está falho. Apenas no ano de 1946 que consegue-se criar uma nova constituição e dar origem à quarta república brasileira.

No golpe, o Estado se manifestaria a favor de intervenções econômicas para as empresas: “É a necessidade que faz a lei: tanto mais complexa se torna a vida no momento que passa, tanto maior há de ser a intervenção do estado no domínio da atividade privada” Dessa forma, na constituição, tinha o poder de nomear interventores e possuía total controle executivo do país.

Mesmo após isso, Getúlio ainda retornou para competir nas eleições, ganhando novamente. Dessa forma, governou o país desde  31 de janeiro de 1951 até 24 de agosto de 1954. Morreu de suicídio, com um tiro no coração na cidade do Rio de Janeiro, capital do Brasil.

 

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.