Em editorial, The Guardian opina: “Bolsonaro é um perigo para o Brasil e para o mundo”

5

O jornal britânico The Guardian publicou nesta segunda-feira (05), um editorial contundente apontando diversos equívocos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mesmo de antes da pandemia e sustentando a tese de que ele representa um perigo ao país e ao mundo democrático.

Lembrando que se tratava de um deputado com amplo histórico de atacar “mulheres, gays e minorias”, ao mesmo tempo em que exaltava a tortura e a ditadura militar, o jornal não se furtou em chamar Bolsonaro de um “radical de extrema direita”.

Leia também: Para o Financial Times, Bolsonaro está mais isolado do que nunca.

Além do “histórico de preconceito”, o The Guardian também lembra do “histórico de atleta”, ou seja, como o presidente se negou a enfrentar a gravidade da pandemia naquele momento e que isso se tornou um dos agravantes para que país atingisse números assustadores em relação à contaminação e mortes por Covid-19.

As críticas políticas do The Guardian

Além de apontar as falhas na gestão Bolsonaro em relação à preservação da Amazônia, afirmando que as decisões deste governo causaram um desmatamento relativo a 12 anos, o The Guardian ainda lembra do cenário político turbulento que o país passa desde a prisão do ex-presidente Lula (PT), e a recente possibilidade de sua volta à corrida eleitoral.

Veja também: Nova pesquisa eleitoral indica empate técnico entre Lula e Bolsonaro.

Na visão do jornal britânico, as últimas pesquisas que têm pontuado Bolsonaro com altos índices de rejeição, pressionaram o presidente para que ele fizesse a reforma ministerial, que culminou com a substituição dos três comandantes das Forças Armadas ao mesmo tempo, fato inédito na República brasileira.

Em relação às próximas eleições, o jornal mostra preocupação com quais atitudes Bolsonaro poderia tomar para tentar se manter no poder em caso de derrota nas urnas.

Para isso, o The Guardian lembra o episódio ocorrido no Capitólio, órgão referente à Câmara dos Deputados no Brasil, que foi invadido por apoiadores de Donald Trump (Republicanos) que não aceitavam a derrota do então presidente dos Estados Unidos.

Nesse sentido, o jornal afirma que isso não somente é possível, como é provável: que Bolsonaro tente se agarrar ao poder pelo uso da força, lembrando o que o seu filho, Eduardo Bolsonaro, falou sobre a invasão ao Capitólio ocorrida em Janeiro: “Foi um movimento desorganizado, é uma pena. Se eles tivessem sido organizados, os invasores teriam se apoderado do Capitólio e feito demandas pré-estabelecidas”, disse Eduardo Bolsonaro de acordo com o editorial.

As críticas em relação ao combate à pandemia

O jornal sintetiza ao afirmar: “Bolsonaro permitiu que o coronavírus se alastrasse sem controle, atacando as decisões de restrição de circulação, máscaras e vacinas”.

A estes principais fatores, a publicação lembra que podem ser atribuídos o surgimento de novas variantes, em especial a P.1. que vem causando preocupação ao redor de todo o globo por já ter se mostrado como muito mais contagiosa, em estudos ainda preliminares.

Além de lembrar que o presidente brasileiro negou a gravidade da pandemia desde o início, o editorial ainda aponta que as novas variantes surgidas aqui representam, de imediato, um risco aos vizinhos da América Latina.

Contudo, o jornal aponta que Jair Bolsonaro representa um perigo ao Brasil e ao mundo principalmente em duas frentes: a política e a sanitária.

Pela política, entende-se que suas antigas adorações à ditadura e seus recentes movimentos em relação às forças armadas, estariam insinuando uma saída não-pacífica do poder.

Já do ponto de vista sanitário, o jornal aponta que sua incompetência na gestão da pandemia do coronavírus permitiu que o Brasil tivesse mais de 60 mil mortes apenas no mês de março e que se criasse uma nova ameaça global através das novas variantes “cultivadas” aqui.

Em relação à saída do presidente, seja por impeachment ou após as próximas eleições, o The Guardian finaliza: “sua partida seria bem-vinda, pelo bem do Brasil e pelo resto do planeta”.

Para ver mais notícias sobre a Covid-19, clique aqui.

Leia Também:

5 Comentários
  1. […] Em editorial, The Guardian opina: “Bolsonaro é um perigo para o Brasil e para o mundo” […]

  2. Manuela Albuquerque Diz

    O q é ótimo p o Brasil e o mundo é um Lula ladrão, com todos os seus comparsas da corrupção, com todas as suas mentiras, e fazendo o povo brasileiro de besta e otários!!!

  3. Severino Dantas Diz

    O q é ótimo p o Brasil e o mundo é um Lula ladrão, com todos os seus comparsas da corrupção, com todas as suas mentiras, e fazendo o povo brasileiro de besta e otários!!!

  4. […] Leia também: Em editorial, The Guardian opina: “Bolsonaro é um perigo para o Brasil e para o mundo” […]

  5. […] Leia também: Em editorial, The Guardian opina: “Bolsonaro é um perigo para o Brasil e para o mundo”. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.