Eduardo Bolsonaro anuncia que está com Covid-19

Eduardo Bolsonaro foi um dos que fizeram parte da comitiva do governo federal que esteve em Nova York, no Estados Unidos

0

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), é mais um membro do governo a anunciar que está com Covid-19, mesmo após a vacinação. A informação foi dada pelo parlamentar na manhã desta sexta-feira (24), em uma publicação no Twitter.

Eduardo Bolsonaro foi um dos que fizeram parte da comitiva do governo federal que esteve em Nova York, nos Estados Unidos, no início desta semana, acompanhando o presidente do país, que discursou na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Agora, Eduardo Bolsonaro se junta ao ministro Saúde, Marcelo Queiroga, que também testou positivo para o vírus. Porém, diferentemente do filho do presidente, que está no Brasil, o chefe da pasta está em um hotel em Nova York. Isso porque o resultado positivo de Queiroga saiu enquanto ele tentava embarcar de volta ao país. Já os outros membros da comitiva, assim como o próprio deputado, testaram negativo e puderam voltar para o Brasil.

Eduardo Bolsonaro foi um dos que fizeram parte da comitiva do governo federal que esteve em Nova York, nos Estados Unidos. (Foto: reprodução)

No Twitter, Eduardo Bolsonaro, além de revelar que estava com Covid-19, voltou a criticar a ideia de um passaporte sanitário de vacinação. De acordo com o deputado, o fato de ele, que já foi vacinado, ter testado positivo, reforça a ideia de que a adoção do documento não é correta. “Sabemos que as vacinas foram feitas mais rápidas do que o padrão. Tomei a 1ª dose de Pfizer e contraí Covid. Isso significa que a vacina é inútil? Não creio”, começou o filho do presidente.

“Mas é mais um argumento contra o passaporte sanitário. Estudos sobre efeitos colaterais e eficácia estão ocorrendo agora”, completou o parlamentar que, assim como os outros integrantes da comitiva, estão seguindo a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que aconselhou que as autoridades da comitiva, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, permanecessem isoladas em casa nos próximos dias, já que podem desenvolver a doença em razão do contato com Queiroga.

Leia também: Na Alemanha quem não se vacinar terá ‘auxílio quarentena’ proibido

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.