Dupla é presa acusada de se passar por empresários sertanejos e dar golpes de até R$ 80 milhões, diz a polícia

Os golpistas prometiam conseguir financiamentos para que as vítimas comprassem imóveis e carros de luxo

0

A Polícia Civil está investigando uma dupla acusada de estar se passando por empresários sertanejos para aplicar golpes que chegam a R$ 80 milhões. De acordo com a entidade, os suspeitos enganavam as vítimas com a promessa de falsos empréstimos e financiamentos para a compra de imóveis e carros de luxo.

Hackers invadem redes sociais de influencer e aplicam golpe em pelo menos 20 seguidores

Segundo Alexandre Bruno, delegado à frente do caso, em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (24), os acusados, Renato Renner Marques Ferreira, de 42 anos, e Pablo Lima Estrela, de 40, estão presos e também são suspeitos de receptação de cargas de aço e ferro.

Conforme explicou o delegado, Renato Renner confessou o crime, cometido contra ao menos 85 vítimas, incluindo um cantor de uma dupla sertaneja de Goiânia, Goiás. Já Pablo Lima, segundo o agente, ainda não foi ouvido. Além dos dois, um terceiro envolvido, Manoel Antônio Vieira de Lima, também é acusado de participar dos golpes. Ele, que tem em seu nome um mandado de prisão, está foragido.

Como funcionava os golpes

De acordo com Alexandre Bruno, as investigações mostraram que os acusados entravam em contato com as vítimas e prometiam que conseguiriam financiamentos para que essas pessoas comprassem imóveis ou carros de luxos.

“Eles também se passavam como intermediadores de empresários sertanejos, no sentido de oferecer empréstimos para alavancar a carreira de pessoas do ramo”, explicou o delegado, revelando ainda que as vítimas davam uma parte do dinheiro para conseguir os empréstimos.

“Eles então pegavam o valor, enganavam as vítimas, muitas vezes dizendo que havia algum problema no sistema dos bancos, e desapareciam com o dinheiro”, contou Alexandre Bruno, explicando ainda que eles usavam as redes sociais para “captar os clientes”.

Os golpistas prometiam conseguir financiamentos para que as vítimas pessoas comprassem imóveis e carros de luxo
Os golpistas prometiam conseguir financiamentos para que as vítimas comprassem imóveis e carros de luxo. (Foto: reprodução)

As investigações

As investigações do caso começaram há um ano, mas tinha como foco o aumento significativo em ocorrências de roubo de cargas de ferro e aço em Goiás. No entanto, ao prender Renato Renner, a Polícia Civil descobriu também o esquema de golpes do falso empréstimo.

Por conta dos crimes, os suspeitos viviam uma vida de luxo. Tudo isso, com o dinheiro das vítimas. Pablo Estrela, por exemplo, que foi preso na última sexta-feira (21), em Camaçari, na Bahia, foi capturado em uma mansão. Ele foi transportado de avião da cidade baiana até o estado de Goiás, onde permanecerá preso.

O delegado explica que as investigações continuam com o objetivo de prender Manoel Antônio Vieira, que usava o nome falso de Marcos de Suassuna e é apontado como o investidor do esquema criminoso, a pessoa encarregada de gerenciar as compras e vendas dos produtos roubados, além de ser o dono da empresa.

Por fim, a informação é que os três suspeitos devem responder pelos crimes de receptação de cargas, estelionato, organização criminosa e lavagem de capitais.

Leia também: Fotos mostram policial aposentado armado ‘caçando’ ex-mulher após divórcio

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.