Dr. Jairinho é indiciado por tortura contra filha de ex-namorada

Segundo as informações, as agressões contra a criança foram relatadas por sua mãe e a avó durante o inquérito que apura a morte de Henry

4

O médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), suspeito de ter matado o enteado Henry Borel, de quatro anos, foi indiciado por outro crime: tortura majorada contra a filha de uma ex-namorada.

Menina morta e torturada pela mãe e a madrasta passou três meses trancada em quarto

De acordo com o jornal “O Globo”, Jairinho foi indiciado pelo delegado Adriano Marcelo Firmo França, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), do Rio de Janeiro.

Segundo as informações, as agressões contra a criança foram relatadas por sua mãe e a avó durante o inquérito que apura a morte de Henry.

Ao DCAV, a menina confirmou as violências feitos pelo vereador. Segundo o delegado Filipe Curi, esse caso serve para ratificar o perfil violento de Jairinho contra crianças e filhas de pessoas com as quais ele tem relacionamento amoroso.

As agressões de Jairinho

De acordo com a menina, hoje com 13 anos, Jairinho chegou a bater sua cabeça no box de um banheiro e ainda pisou nela, no fundo de uma piscina, para que a garota não conseguisse levantar e respirar.

Todavia, essas não foram as únicas agressões. Isso porque, de acordo com a avó da garota, em uma outra ocasião, a criança chegou com o braço imobilizado e Jairinho disse que ela teria se lesionado durante as aulas de judô.

No entanto, o professor da academia, também em depoimento, negou ter recordações desse episódio. Ainda de acordo com a avó, na ocasião, a neta lhe agarrou e, chorando, vomitou e pediu para que não a deixasse sair sozinha com Jairinho.

A afirmativa das agressões por parte da menina aconteceu quando ela e a família estavam vendo televisão – na ocasião, o programa falava sobre casos de violência doméstica, o que encorajou a menina a relatar o que sofreu.

“Felizmente essa criança vítima dessa investigação não teve o fim trágico do menino Henry, mas ela sofreu sérias violências”, disse o delegado Filipe Curi, que ainda explicou como Jairinho agia para agredir suas vítimas.

“Ele agia de forma clandestina e sem testemunhas. Essa criança confirmou as agressões do indiciado. Além das provas e dos depoimentos, outras provas testemunhais, todas as versões do Jairinho, feito no dia da prisão, foram derrubadas” afirma.

Outro caso

Além da agressão contra a menina, a polícia ainda investiga outro caso. Conforme publicou o Brasil123, o filho da estudante Débora Melo Saraiva também prestou depoimento à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV).

De acordo com a mãe do garoto, o menino, atualmente com 8 anos, relatou que o vereador colocou um papel e um pano em sua boca, avisando que ele não poderia engoli-los. Além disso, em dado momento, o vereador teria deitado a criança e pisado em cima dela.

Por fim, a mãe do garoto ainda revelou que, em outra oportunidade, Jairinho ligou para ela dizendo que seu filho havia torcido o joelho quando estava sozinho com o parlamentar e que médicos, ao avaliar o menino, constataram uma lesão no fêmur dele.

Leia também: Ex-funcionária conta 4 episódios de agressão de Dr. Jairinho a uma criança

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.