Donald Trump se recusa a liberar o “Auxílio Emergencial dos EUA”

Congresso aprovou o pacote que libera 900 bilhões de dólares para isso. Mas Trump disse que esse valor "é ridículo"

1

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, surpreendeu ao divulgar um vídeo onde afirma que não vai assinar a liberação de 900 bilhões de dólares para atenuar os problemas da pandemia. É daí que sairia o dinheiro para o Auxílio Emergencial dos Estados Unidos.

Em tese, essa liberação daria para cada norte-americano de baixa e média renda um cheque de 600 dólares. Esse é um valor individual. Assim, se uma família tem quatro pessoas, por exemplo, receberia quatro vezes esse valor.

O Congresso aprovou esse texto e a Secretaria de Tesouro do Governo anunciou que começaria o pagamento dos cheques na próxima semana. Mas ninguém contava com esse revés de Donald Trump. Na noite desta terça (22), ele publicou um vídeo chamando o ato de “ridículo”.

Mas não é porque o dinheiro é alto, e sim porque o dinheiro é baixo. Na visão dele, cada norte-americano tem que receber um cheque de 2.000 dólares e não de 600 dólares como propõe a versão atual.

Além disso, ele afirmou que dos 900 bilhões da liberação, ao menos 100 bilhões vão para interesses de lobistas. Ele propõe que esses supostos interesses saiam do texto para que o Auxílio Emergencial dos norte-americanos possa aumentar.

Auxílio emergencial dos EUA

O curioso em toda essa história é que ao dizer isso Trump está apoiando os democratas. Isso porque o partido da oposição estava tentando aumentar o valor desse Auxílio para a população. Já os republicanos queriam manter o valor do cheque em 600 dólares.

Por isso, ao saber da declaração do presidente, a líder da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, disse que está ansiosa para voltar ao trabalho e colocar em votação a proposta do presidente de aumentar o Auxílio para 2000 dólares.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.