Dólar interrompe sequência de quatro semanas no vermelho

Cautela no exterior e mal estar político no Brasil pressionam câmbio

1

O dólar comercial quebrou uma sequência de quatro resultados semanais no vermelho, ajudado, principalmente, pela cautela no exterior e pelo mal estar político no Brasil. Em resumo, a moeda americana fechou a semana com alta de 0,74%, cotado a R$ 5,0818. No entanto, em dezembro, o dólar acumula queda parcial de 4,95%, seguindo o resultado de novembro, quando caiu 6,82%. No ano, ainda tem uma apreciação consistente contra o real brasileiro, de 26,73%.

 

Dólar sobe 0,08% na sexta

O pregão da última sexta-feira (18) terminou com uma leve subida de 0,08% do dólar. E isso aconteceu ao redor do mundo, com apreciação da moeda americana em relação a fortes rivais, como euro, libra e iene. Ao mesmo tempo, o dólar também teve um comportamento similar frente pares emergentes do real brasileiro, como peso mexicano e rublo russo.

A alta do dólar na sexta aconteceu, principalmente, devido ao cenário doméstico. O ministro da Economia, Paulo Guedes, já afirmou que a continuação do auxílio emergencial é uma certeza em caso de segunda onda da Covid-19 no país. Contudo, na última sexta, afirmou que este não é o plano A, mas disse que “se houver revigoramento da pandemia e segunda onda claramente indicada, evidentemente temos que ter ação fulminante, como na primeira vez”. Ou seja, a declaração apenas aumentou o receio sobre a questão fiscal do país.

 

Fatores externos

Além disso, a novela em relação ao pacote de estímulos da economia americana parece não ter fim. Bem como a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). Em ambos os casos, ainda não há um resultado, o que deixa os mercados apreensivos. O que se espera é que isso acabe. É claro que, com um resultado positivo, fica ainda melhor. Ou seja, tudo isso fortalece o dólar aqui no Brasil.

Por fim, Brexit é a junção da palavra British (britânico) e exit (saída). Em 2016, houve um referendo que contou com o voto da população do Reino Unido. O resultado apontou para a saída do Reino Unido da União Europeia. Contudo, de lá pra cá, essa novela ainda não teve fim. O bloco europeu não quer a saída do Reino Unido, porque teme que isso incentive outros países a abandonarem o bloco. O país, por sua vez, exige um tratamento melhor da União Europeia.

 

LEIA MAIS

Ibovespa sobe pela 7ª semana seguida e está a 1.600 pontos do recorde histórico

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.