Diretores da Anvisa foram ameaçados após a liberação da CoronaVac para crianças e adolescentes

As ameaças aos diretores acontecem após a liberação da vacina Coronavac contra a Covid-19 para crianças e adolescentes de seis a 17 anos

0

A liberação da vacina Coronavac contra a Covid-19 para crianças e adolescentes de seis a 17 anos rendeu ameaças e ofensas aos diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com o jornal “O Globo”, o conteúdo intimidador foi enviado aos executivos via e-mail.

Neste domingo (23), o jornal informou que as ameaças foram enviadas ainda na quinta-feira (20), dia que, assim como mostrou o Brasil123, a Anvisa anunciou a liberação do imunizante para crianças e adolescentes.

Em uma das mensagens, uma pessoa, afirmando se chamar Nilza, disse que, com a liberação, os diretores da Anvisa colocaram “vidas inocentes numa grande roleta russa”. Agora, afirma esse mesmo indivíduo, os integrantes da alta cúpula da agência serão vítimas de uma “maldição”.

“O preço a ser pago será terrível não quero estar na sua pele e oro a Deus em desfavor de todos que tem causado dor e sofrimentos ao seu próximo, lembre se o próximo pode ser dentro de sua família”, escreveu a suposta Nilza.

Ainda segundo “O Globo”, um outro e-mail diz que falta aos diretores da agência “amor à pátria”. Além disso, essa pessoa, que não revela nenhum nome, afirma que “o preço que o servidor vai pagar será altíssimo” e que “com certeza” os diretores da entidade “não usarão esse experimento [vacina] nos filhos e netos” deles.

Ameaças aos diretores da Anvisa

Essas ameaçadas aos integrantes do alto escalão da Anvisa começaram a ser registradas após o presidente da república,  Jair Bolsonaro (PL), ter ameaçado divulgar os nomes dos executivos responsáveis pela liberação do uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 para crianças de cinco a 11 anos.

Desde então, os membros da Anvisa estão sendo vítimas de ameaças e perseguições tanto por e-mails quanto pelas redes sociais – tudo pela atuação deles na autorização da vacina contra a Covid-19 em crianças e adolescentes. Ao todo, estipula a Polícia Federal (PF), que investiga o caso, os servidores da agência já receberam mais de 300 e-mails com mensagens em tom ameaçador e ofensivo.

Leia também: Anvisa adia aprovação do autoteste de Covid-19 e pede informações ao Ministério da Saúde

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.