Dificuldades operacionais da AVON podem ter sido motivadas por problemas de segurança digital

Quantidade superior a 7GB de informações privativas foi ilegalmente acessada

0

No último mês, consumidores e consultores da AVON encontraram dificuldades para acessar o sistema e visualizar produtos, finalizar compras e comunicar novos pedidos dos seus clientes. Tudo isso fez com que as atividades internas de uma das maiores empresas de cosméticos do país e parecia difícil compreender porque tantas falhas seguidas estavam acontecendo.

Porém, uma avaliação recente feita pela Safety Detectives parece ter chegado a uma conclusão: os dados da AVON estavam vulneráveis e, provavelmente, foram acessados por terceiros.

De acordo com a empresa de tecnologia, mais ou menos 7GB de informações confidenciais da marca vazaram e não se sabe qual é a possível utilização que os cibercriminosos podem ter dado a elas.

Enquanto os hackers movimentam o sistema da AVON para os seus próprios interesses, torna-se mais complicado para os seus clientes e funcionários acessar até mesmo a informações básicas.

Chama a atenção o número considerável de ataques a empresas que estão acontecendo no mundo todo. Nos meses mais recentes, a quantidade de companhias que estão perdendo a capacidade plena de usar o seu estoque, o seu site e os seus aplicativos, ficou praticamente fora de controle.

Com isso, os especialistas em segurança detectam dois comportamentos preocupantes: os hackers estão ficando mais habilidosos, ao mesmo tempo em que as empresas não estão investindo tudo o que poderiam (e deveriam) na proteção dos seus arquivos.

Cabe salientar que a nova proprietária da AVON, a famosa Natura, passou por um problema semelhante já em 2020.

O que pode motivar os cibercriminosos não é exatamente ter informações pessoais dos clientes, consultores e funcionários, mas sim usar a capacidade do servidor da empresa.

Em muitos casos, esses servidores são perfeitos para que se fabrique medas virtuais, chamadas de bitcoins. Isso porque nem todo computador é habilitado para isso: é necessário que o hardware seja potente, assim como o software, o que se vê em empresas do porte da AVON.

No entanto, isso não torna as invasões ao servidor menos preocupantes.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.