Diesel fica R$ 0,20 MAIS BARATO a partir desta sexta-feira (5)

Redução se refere às distribuidoras do país; preço do diesel ainda segue bastante elevado, pressionando a renda do consumidor

0

As distribuidoras do Brasil começam nesta sexta-feira (5) a vender o diesel R$ 0,20 mais barato. A saber, a Petrobras anunciou na véspera uma redução de 3,57%, que fez o valor do litro do combustível mais usado no país cair para R$ 5,41. E a expectativa é que os consumidores também tenham algum alívio com essa redução.

Em resumo, a queda no preço do diesel surpreendeu alguns analistas, que não apostavam em um reajuste tão cedo assim. Na verdade, a Petrobras repassou para as distribuidoras a volatilidade dos preços internacionais. Contudo, a estatal tende a trabalhar com uma margem de segurança, mas preferiu reduzir o preço do diesel no país.

Embora o reajuste do combustível seja positivo para o consumidor, o impacto que essa decisão irá gerar deverá ser bem tímida. Como a queda foi de apenas R$ 0,20, os preços do combustível não deverão cair de maneira significativa no país.

De acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do litro do diesel ficou dois centavos mais barato na semana passada, caindo de R$ 7,44 para R$ 7,42. Isso mostra que o combustível continua muito caro no país, superando em muito o preço da gasolina (R$ 5,74).

Consumidores devem ficar atentos aos preços do diesel nos postos

Apesar de a redução da Petrobras se direcionar às distribuidoras, os consumidores também deverão se beneficiar com o reajuste. Uma vez que as distribuidoras vendem o diesel mais barato para os postos de combustíveis, é esperado que estes também reduzam os valores para o consumidor final.

Por isso, a população precisa ficar atenta e conferir se o diesel realmente ficou mais barato nas bombas. No entanto, vale destacar que os preços dos combustíveis nos postos são bem mais salgados que os das distribuidoras. Há diversos fatores que elevam os valores, como margem de lucro, pagamento de funcionários, fornecedores e transporte dos combustíveis, por exemplo.

Por fim, as expectativas para uma nova redução do diesel são bem pequenas. Em síntese, a política de preços da Petrobras leva em consideração a cotação internacional do barril de petróleo e as oscilações do dólar. Embora o petróleo esteja mantendo certa estabilidade, o dólar vem subindo nas últimas semanas. E esse cenário não deverá permitir uma nova queda do diesel tão cedo.

Leia também: Juros mais altos encarecem o crédito no Brasil

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.