Dezenas de pessoas morrem em protestos contra prisão de candidato na Uganda

De acordo com as informações do próprio governo do país, 37 pessoas morreram e 350 ficaram feridas durante os protestos da Uganda

0

A Uganda está registrando uma das semanas mais sangrentas de sua história recente. De acordo com dados oficiais do próprio governo, 37 pessoas morreram e outras 350 estão nos hospitais por causa dos protestos violentos na capital Kampala.

Toda a confusão começou por causa da prisão de Bobi Wine. Ele é um deputado que também é cantor. Wine costuma fazer várias críticas ao atual governo de Yoweri Museveni. É portanto o presidente que está no poder há 36 anos no país.

A Uganda já vive um clima de eleições presidenciais, que devem acontecer de fato no próximo mês de janeiro de 2021. Wine é um dos candidatos mais fortes da oposição. Ele foi para a cadeia na última quarta-feira (18).

Os agentes de segurança afirmaram que a prisão do deputado aconteceu porque ele estava causando aglomeração no meio da pandemia do novo coronavírus. Mas de acordo com ONGs de defesa dos Direitos Humanos, o presidente do país também costuma fazer essas aglomerações.

Seja como for, a prisão de Bobi acabou causando uma enorme revolta popular. Nesse momento, ele já saiu da cadeia. Isso porque ele conseguiu pagar a fiança. Em uma entrevista logo depois de sair da prisão, ele culpou o presidente pelas mortes no país.

Tensão em Uganda

O medo agora é que esse nível de tensão se intensifique nas próximas semanas. As eleições devem acontecer no próximo dia 14 de janeiro. Até lá, governistas e oposicionistas sabem que possuem um caminho longo pela frente.

A Uganda é um país da África Oriental. Entre outras coisas, ele registra altos níveis de violência. Mas o tamanho dessa tragédia em Kampala surpreendeu a imprensa internacional em um nível muito mais elevado do que vinha acontecendo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.