Deputados usam redes sociais para criticar fim do Auxílio Emergencial

Último pagamento do programa aconteceu nesta terça-feira (29). Deputados de oposição criticaram Bolsonaro

1

Deputados federais de oposição usaram as redes sociais para criticar o fim do Auxílio Emergencial nesta terça-feira (29). De um modo geral, esses parlamentares afirmaram que isso vai acontecer por “culpa do presidente Jair Bolsonaro”.

A deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, comentou o encerramento do programa. “Guedes não quer prorrogar o estado de calamidade e o auxílio emergencial. Prefere pagar p/ ver o caos a socorrer o povo”, disse ela.

“Bolsonaro vai prorrogar auxílio e decreto de calamidade ou vai deixar o povo morrer de fome, sem auxílio e sem emprego?”, disse a presidente do PT. De acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) cerca de 48 milhões ficarão sem nenhuma renda a partir de janeiro.

Quem também criticou o fim do programa foi o deputado federal Paulo Teixeira, também do PT. “Duas prioridades para os brasileiros: vacina e a renovação do auxilio emergencial”, disse ele em sua conta oficial no Twitter.

Outro lado no Auxílio Emergencial

Mas nas redes sociais, muita gente também defendeu o fim do Auxílio para os trabalhadores. Em geral, eles disseram que o país não aguenta pagar essa conta e que uma prorrogação vai “quebrar as empresas do país”.

“A hipocrisia continua… O PT devolvendo tudo que pegou, aí teremos auxílio emergencial pra sempre”, respondeu uma internauta também no Twitter. Polêmicas à parte, o fato é que o Auxílio chegou mesmo ao fim.

A aposta do Governo é a melhora da economia em 2021. De acordo com o ministro Paulo Guedes isso pode gerar empregos. Dessa forma, essas pessoas não iriam mais precisar do auxílio. Mas para isso a pandemia vai precisar ajudar.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.