Deputado causa polêmica ao comemorar morte de menino de 12 anos

O deputado federal Sargento Fahur, do PSD do Paraná, comemorou a morte da criança em um confronto com a Polícia

1

O deputado federal Sargento Fahur comemorou a morte de uma criança de 12 anos de idade em seu perfil oficial no Twitter. Por isso, ele acabou causando muita polêmica nas redes sociais. O menino estava tentando assaltar uma casa.

De acordo com as informações oficiais tudo aconteceu na última terça-feira (22). Essa criança estava com uma pessoa maior de idade. Os dois estavam tentando invadir uma casa com armas de fogo na cidade de Londrina, no Paraná. O homem mais velho está na prisão. Mas a criança morreu no confronto com a Polícia Militar (PM)

O deputado em questão é justamente natural do Paraná. Ele foi o deputado com mais votos no estado na última eleição. O parlamentar é do PSD, mas é um apoiador do presidente Jair Bolsonaro. No seu post de comemoração, ele escreveu a frase “bandido bom é bandido morto”.

“Aconteceu em Londrina-PR. Bandido bom é bandido morto. Foi p/ o inferno antes de tirar a vida de uma pessoa de bem. Estava assaltando uma residência com arma de fogo. N gostou do meu comentário? Simples, deixa de me seguir e vai seguir a Maria do Rosário”, disse o parlamentar.

Para quem não lembra, Maria do Rosário é a deputada do PT que já protagonizou diversos embates com Jair Bolsonaro nos últimos anos. Os dois divergem publicamente sobre questões de direitos humanos no Brasil.

Deputado causa polêmica

Aliás, o presidente Jair Bolsonaro, que atualmente não tem partido, venceu as eleições em 2018 com uma retórica muito semelhante. Mas no governo ele vem adotando uma postura menos radical na área da segurança pública.

Isso acontece principalmente porque esse é um tema que cabe muito mais aos governos estaduais. Seja como for, recentemente o presidente decidiu facilitar a compra de armas no país. Isso, aliás, causou a ira da empresa Taurus. 

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

1 comentário
  1. Daniel Diz

    Tá certíssimo, se tivesse estudando ou capinando um quintal ao invés de estar armado, assaltando residências, trocando tiros com a polícia, não estaria morto. Já vai tarde…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.