Cuba terá vacina própria contra a Covid-19

A ideia é que toda a população cubana receba as doses da vacina no primeiro semestre de 2021

1

Nada de comprar vacinas. Cuba quer aplicar em sua população um imunizante contra a Covid-19 criado e produzido no próprio país. A ideia, de acordo com o diretor do Instituto Finlay de Vacinas (IFV), Vicente Vérez Bencomo, é que toda a população receba as doses da vacina no primeiro semestre de 2021.

Leia também: Reino Unido aprova vacina da Oxford, que tem armazenamento mais fácil

Ainda de acordo com Vicente Bencomo, em entrevista ao jornal cubano “Oficial Granma” ontem, terça-feira (29), o país terá capacidade “para imunizar a população cubana contra o vírus no primeiro semestre de 2021”.

Hoje, em Cuba, duas vacinas candidatas contra a Covid-19 são elaboradas: Soberana01 e Soberana02. Conforme explicou Vicente, as “soberanas avançaram significativamente no ensaio clínico: a 01 vai terminando a Fase 1, e a 02 entra na Fase 2”.

Além disso, ele revelou que ambas as vacinas demonstraram confiança em relação à segurança e à resposta imunológica. No entanto, ele ressalta que a Soberana 02 tem se saído melhor. “O imunizante mostrou uma resposta imunológica precoce aos 14 dias, o que permite passarmos para a Fase 2 de ensaio clínico mais rapidamente”, adiciona.

Vacina entrará em próxima fase 

O diretor do IFV ainda explicou que, em janeiro, cerca de mil voluntários serão vacinados nas diferentes formulações da Soberana 02. Após isso, a expectativa é iniciar a terceira e última fase, que deve contar com a participação de cerca de 150 mil pessoas em Havana, capital cubana.

O desenvolvimento de vacinas em Cuba não é novidade. Os cientistas da ilha têm experiência na obtenção e na fabricação de vacinas. Exemplo disso é que o programa nacional de vacinação para toda infância conta com 11 vacinas contra 13 doenças – oito delas são fabricadas na ilha.

Até o momento, Cuba mantém a propagação do vírus sob controle. Com 11,2 milhões de habitantes, a ilha registrou 11.434 casos e 143 mortes devido a doença. Este é um número considerado baixo quando comparado com os seus países vizinhos.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.