CPI da Covid: Responsáveis por falta de oxigênio no Amazonas vão responder por homicídio, diz Randolfe

Colapso no sistema de saúde durou mais de quatro semanas entre janeiro e fevereiro

0

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, afirmou ao portal UOL que o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito pedirá o indiciamento por homicídio dos responsáveis pela falta de oxigênio no Amazonas.

O senador classifica a omissão de socorro por partes das autoridades públicas como criminosa e avalia que as mortes poderiam ter sido evitadas. A crise de desabastecimento de oxigênio em Manaus durou mais de quatro semanas entre os meses de janeiro e fevereiro. Durante o período, o governo estadual ignorou ofertas de aeronaves para levar o insumo à capital amazonense.

“Prevaricação, homicídio culposo e, a se analisar, homicídio doloso, claramente pela omissão em socorrer, primeiramente, e por não ter os dados claros do que em Manaus ia ocorrer. No mínimo, isso está caracterizado e deve constar no relatório final da CPI”.

Prefeitos fretaram aviões para levar oxigênio ao Amazonas

Sem assistência do governo estadual ou do governo federal, prefeitos da região fretaram aeronaves pequenas para transportar oxigênio a partir de outros estados. Enquanto isso, a secretária de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde do Ministério da Saúde, Mayara Pinheiro, visitou Manaus para lançar um aplicativo para promover o uso de cloroquina, que não tem eficácia comprovada contra a Covid-19

“Não tenha dúvida que os responsáveis serão apontados no relatório final da CPI. Diante do caos em curso, o governo brasileiro tinha que ter mobilizado toda sua força aérea. Não era um ou outro avião. Quando o oxigênio começou a colapsar, a senhora Mayara Pinheiro foi fazer lançamento de TrateCov em Manaus, mandou cloroquina”, disse o senador.

“Tem umas cartas no dia 7 de janeiro ela indicando que a alternativa de enfrentamento da pandemia em Manaus seria a distribuição de kits para tratamento precoce, e esse pessoal estava precisando de oxigênio”, completou Randolfe.

O vice-presidente da CPI da Covid também lembra da ajuda prestada pelo governo da Venezuela, que disponibilizou oxigênio ao Amazonas durante a crise.

“O governo da Venezuela disponibilizou oxigênio e abriu seu espaço aéreo para o oxigênio chegar mais rapidamente em Manaus. [O Governo Brasileiro] não só não pediu como depois não agradeceu. A omissão que ocorreu em Manaus, no Amazonas, foi criminosa. A tragédia poderia ter sido evitada”, disse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.