Covid-19 pode desencadear doença autoimune

Covid-19 pode desenvolver a síndrome de Guillain-Barré, uma doença autoimune que provoca paralisia flácida

2

A pandemia da covid-19 gerou sérios problemas para a humanidade e mudou completamente a forma com que tudo funciona. Assim, enquanto o mundo aguarda ansiosamente pela vacina, o novo coronavírus não deixa de surpreender o mundo. Ao se tratar de novidade, estudos realizados recentemente apontam que a covid-19 pode desencadear uma doença autoimune, a qual causa paralisia flácida. Trata-se da síndrome de Guillain-Barré (SGB), uma doença desencadeada por infecções prévias, principalmente as virais.

Recentemente, pesquisadores da Universidade Rutgers identificaram o primeiro caso em que a covid-19 desencadeou um quadro de recorrência da SGB. O paciente foi diagnosticado por duas vezes com a síndrome autoimune, sendo a terceira ocasionada pela covid-19.

Em outro estudo, um artigo publicado pela revista científica New England Journal of Medicine, evidenciou casos da síndrome de Guillain-Barré (SGB) que foram desencadeados pela covid-19. A pesquisa, realizada na Itália, no início da pandemia, constatou que cinco pacientes desenvolveram SGB entre o 5º e o 10º dia de infecção.

Além da covid-19, várias doenças provocadas por vírus e bactérias estão associadas ao desenvolvimento de SGB. No Brasil, por exemplo, o surto de Zika Vírus provocou diversos casos da síndrome. Somado a isso, há cada vez mais evidências de que a hepatite E também é um fator de risco para o desenvolvimento dessa doença autoimune

Como a covid-19 pode desencadear doença autoimune

A síndrome de Guillain-Barré se caracteriza por uma reação autoimune que induz uma polineuropatia inflamatória aguda, um quadro de fraqueza muscular nos membros, dificuldade respiratória, problemas com a fala e parestesia (sensação de formigamento nos membros).

Segundo o Ministério da Saúde, as causas da síndrome autoimune não são totalmente conhecidas. Contudo, a maior parte das pessoas que a desenvolve possui histórico de infecções como gastroenterites e doenças respiratórias. Portanto, acredita-se que os anticorpos desenvolvidos pelo corpo para combater algumas infecções, podem, posteriormente, atacar estruturas do próprio organismo.

Ao que tudo indica, o ataque imunológico ocorre em resposta ao mimetismo molecular, no qual partículas dos micro-organismos reagem de forma cruzada com componentes próprios do hospedeiro. A similaridade estrutural com alguns componentes do organismo do hospedeiro desencadeia uma cascata imunológica. Logo, é dessa forma que a covid-19 desencadeia a doença autoimune.

O resultado disso será um ataque à bainha de mielina, uma camada lipídica que envolve nervos e facilitam a propagação de impulsos elétricos. Isso provoca uma falha acentuada na propagação dos impulsos nervosos, causando uma paralisia flácida, característica da SGB.

Os primeiros sintomas da síndrome autoimune

Os sintomas da síndrome de Guillain-Barré, com frequência, inicia-se com formigamento nas mãos e nos pés, antecedendo a fraqueza. Ademais, outros achados importantes são as dores nas costas e nas pernas, bem como a  diminuição ou ausência dos movimentos reflexos do corpo. Os casos mais graves podem evoluir com problemas respiratórios e cardíacos.

Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento disponível no Brasil consiste em antecipar os cuidados com as comorbidades associadas e tratar a progressão dos sinais e sintomas, a fim de proporcionar um menor tempo de recuperação.

Veja também: Butantan pode oferecer até 100 milhões de doses da Coronavac para o governo federal

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

2 Comentários
  1. cyclosporine Diz

    cyclomune buy cyclosporine

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.