Covid-19: mais de 18 milhões estão com a 2ª dose da vacina atrasada no Brasil

Ministério da Saúde afirma que avanço da imunização derrubou o número de mortes pela doença

0

De acordo com dados do Ministério da Saúde, mais de 18 milhões de pessoas no Brasil estão com a segunda dose da vacina contra Covid-19 em atraso. A pasta diz que o número é preocupante, pois a proteção contra o novo coronavírus só é efetiva depois de completar o esquema vacinal.

Em comparação com os números da semana passada, houve uma queda de 10% no número de brasileiros com a segunda dose em atraso, baixando de 20 milhões para 18 milhões. Em nota, o Ministério ressaltou que a recomendação da pasta é que a população complete o esquema vacinal.

“A recomendação da pasta é para que os brasileiros completem o ciclo vacinal mesmo se o prazo para a segunda dose estiver atrasado. No caso das vacinas da Pfizer e da Astrazeneca, o intervalo é de oito semanas. Já para a CoronaVac, a segunda dose deve ser aplicada 4 semanas após a primeira”, afirmou o ministério.

No total, a pasta distribuiu mais de 320 milhões de doses de vacinas da Covid-19 para estados e municípios do país. Dessas, foram aplicadas cerca de 270 milhões de doses, sendo que 153,8 milhões correspondem a primeira dose, enquanto 116,1 são da segunda ou da dose única da vacina da Janssen. Já a dose de reforço foi aplicada em 6 milhões de pessoas.

Vacinação contra Covid-19 derrubou número de casos e mortes no Brasil

Em nota, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou que a queda no número de novos casos e mortes causadas pela Covid-19 está diretamente relacionada “à ampla campanha de vacinação”.

“Mesmo com um cenário mais tranquilo, com queda no número de casos, óbitos e internações, não dá para relaxar nessa hora. Todos sabemos que só com a segunda dose é que garantimos a máxima proteção contra a doença. Precisamos vencer o vírus. E uma das formas de vencê-lo é vacinar toda a população brasileira”, mencionou Queiroga.

Entre abril deste ano e ontem (25), a média móvel de novos casos de Covid-19 caiu 85,4%, enquanto a média móvel de mortes diminuiu 88,9%.

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.