Covid-19: CoronaVac é eficaz em crianças acima de 3 anos, segundo testes realizados na China

Informação foi dada pelo presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas

0

Em testes realizados na China, país que já aprovou a imunização de pessoas de todas as faixas etárias contra a Covid-19, a CoronaVac se mostrou eficaz em crianças a partir de 3 anos e adolescentes.

A informação foi dada nesta sexta-feira (11) pelo presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, em coletiva de imprensa ao lado do secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn. O evento marcou a entrega de mais um lote da CoronaVac ao Ministério da Saúde.

“A vacina do Butantan, a CoronaVac, também teve a sua aprovação para o uso em crianças a partir de 3 anos, de 3 a 17 anos, na China, e essa documentação está sendo incorporada aqui também pela nossa Anvisa”, disse Dimas Covas.

Até o ano passado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exigia que os testes em crianças fossem realizados em território nacional. No entanto, essa diretriz mudou e a agência, inclusive, aceitou um estudo feito fora do Brasil para aprovar o uso da vacina da Pfizer em crianças e adolescentes.

“Essa é uma grande notícia [a liberação da Pfizer para crianças], uma vez que nós realmente precisamos estender proteção para outras faixas etárias de uma forma absolutamente segura, disse o secretário estadual da Saúde Jean Gorinchteyn.

“Os estados brasileiros seguem o Plano Nacional de Imunização, então, para que nós possamos inserir novos grupos etários, precisamos da deliberação do Ministério da Saúde e de mais imunizantes”, continuou.

O Instituto Butantan enviará o pedido de uso da CoronaVac em crianças e adolescentes com base no estudo conduzido na China.

CoronaVac gera anticorpos contra Covid-19 no leite materno

Durante a coletiva de imprensa, Gorinchteyn mencionou um estudo da Faculdade de Medicina da USP, que apontou a presença de anticorpos contra Covid-19 no leite materno de mães que tomaram a CoronaVac mesmo 4 meses após a aplicação.

“A Covid é uma doença grave, é uma doença que mata, e a utilização das vacinas mostra que a produção dos anticorpos também protege o bebezinho. É importante lembrar que isso já é visto em outras vacinas, como a da Influenza – proteger a mãe de formas graves de doença, passa para o bebezinho durante a gestação. Dessa forma, mesmo que a criança só possa tomar a vacina depois dos 6 meses, no caso da gripe, ela está protegida. Então, protege a mãe e protege o bebezinho na barriga e nos seus 6 primeiros meses de vida”, explicou o secretário da Saúde.

Assim como a CoronaVac, a vacina da Pfizer/BioNTech também foi testada com sucesso para a presença de anticorpos contra Covid-19 no leite materno.

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.