Covid-19: Butantan vai ampliar fábrica para produzir vacina

De acordo com o governador paulista, se a Coronavac comprovar eficácia, já poderá vacinar população em dezembro

0

O Instituto Butantan de São Paulo anunciou hoje (14/09) o início das obras para ampliar a produção da vacina contra a Covid-19. De acordo com o governo de SP, espera-se que tudo esteja pronto em setembro do ano que vem.

No entanto, os testes seguem normalmente. Entenda!

Instituto Butantan: ampliação para vacina contra a Covid-19

Assim, com a ampliação, o espaço ficará, a princípio, voltado à produção da vacina contra o novo coronavírus. Vale lembrar que os testes são frutos da parceria entre o Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. Além disso, futuramente, o local poderá ser um espaço para fabricar outros tipos de imunizantes.

Ainda com a ampliação, o Butantan poderá produzir mais de 100 milhões de doses da CoronaVac – a vacina para Covid-19.

Por outro lado, o investimento de construção, ampliação e modernização da nova fábrica do Butantan é de cerca de R$ 160 milhões. No entanto, o governo paulista diz já ter arrecadado R$ 97 milhões em doações de empresas privadas.

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, a ação permite contratar o projeto executivo e, assim, já iniciar a obra. “Fisicamente, a fábrica já existe. Ela será adaptada, ampliada, modernizada e equipada.”, disse Doria sobre o local que testa uma das vacinas contra a Covid-19.

covid-19

Testes vacina Covid-19

A CoronaVac já está na fase 3 de testes em humanos. Ao todo são 9 mil voluntários. Os testes da vacina contra Covid-19 acontecem em centros de pesquisas de seis unidades. Por exemplo, São Paulo, Distrito Federal, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Além disso, Rio Grande do Sul e Paraná.

De acordo com o governo paulista, caso os testes comprovem sua eficácia contra a Covid-19, a CoronaVac já poderá imunizar parte da população a partir de dezembro deste ano.

“Nós, aqui no Brasil, provavelmente, seremos um dos primeiros do mundo a ter uma vacina disponível para vacinação em massa.”, adiantou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

 

Com informações da Agência Brasil 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.