Covid-19: “Ao final do inverno, todos estarão vacinados, recuperados ou mortos”, diz ministro da Alemanha

Ministro da Saúde alemão quer aumentar percentual de imunizados no país

0

Nesta segunda-feira (22), o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, fez um alerta para a população do país sobre a nova onda de Covid-19, demonstrando preocupação com o avanço da doença e com o atual percentual de vacinados.

“Ao final do inverno [no hemisfério norte], todos na Alemanha estarão vacinados, recuperados ou mortos”, disse o ministro em entrevista coletiva em Berlim, capital da Alemanha.

O país passa pela quarta onda de infecções causadas pelo novo coronavírus. Os casos estão aumentando rapidamente, elevando também o número de hospitalizações por Covid-19. A taxa de transmissão atual está no nível mais alto desde o começo da pandemia.

Com 68% da população totalmente vacinada contra a doença, o país tem uma das taxas de imunização mais baixas da Europa Ocidental, o que tem causado preocupação entre as autoridades do país. Na semana passada, a chanceler Angela Merkel fez um apelo para que as pessoas se vacinassem contra a Covid-19 como forma de proteger a si mesmo e aos demais.

Entre domingo e segunda-feira, foram registrados 30.643 novos casos de Covid-19, um aumento de 7 mil infecções em comparação há uma semana.

Para conter o avanço da doença, além de estimular a vacinação, as autoridades locais tem implementado restrições mais duras, como a proibição da entrada de não vacinados em certos estabelecimentos e o cancelamento dos famosos mercados de Natal.

Ministro da Saúde da Alemanha é contra vacina obrigatória

O ministro Jens Spahn disse ser contra tornar vacinas anticovid obrigatórias, porém, afirmou que a imunização “é uma obrigação moral”, pois afeta outras pessoas diretamente. “Liberdade significa assumir responsabilidades, e é um dever com a sociedade ser vacinado”, disse o ministro alemão.

O ministro ressaltou que a variante Delta tem sido responsável pela maioria dos casos de Covid-19 na Alemanha e declarou que “quem não for vacinado ficará, nos próximos meses, infectado e sem proteção.”

Durante a entrevista coletiva, Spahn disse que a vacina da Moderna, fabricada nos EUA, seria o “Rolls-Royce” dos imunizantes. Essa é uma forma de estimular a aplicação de tal vacina anticovid, pois a alta demanda de doses do imunizante da Pfizer/BioNTech pode levar ao esgotamento dos estoques. Enquanto isso, a Alemanha tem 16 milhões de doses da Moderna que podem expirar nos próximos meses caso não sejam utilizadas.

Até o momento, mais de 99 mil pessoas morreram de Covid-19 na Alemanha, que registrou cerca de 5,4 milhões de casos da doença desde o começo da pandemia.

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.