Corte rejeita pedido de Trump para barrar resultado eleitoral da Pensilvânia

Decisão foi mais um banho de água fria para a campanha do republicano. Seja como for, os advogados de Trump prometem recorrer

2

A campanha de Donald Trump sofreu mais um revés nesta sexta-feira (27). É que uma Corte Federal não aceitou o pedido para que as eleições na Pensilvânia não passassem por uma certificação.

O juiz federal Stephanos Bibas disse que a acusação dos advogados de Trump “não tem mérito”. Ele disse ainda que as ideias de fraudes no processo eleitoral são muito graves. Seja como for, ele afirmou que “dizer que uma eleição teve fraude não faz com que a eleição tenha fraude”.

Em resumo: ele pediu provas. E as provas não chegaram. Nos últimos dias, um dos principais advogados de Trump, Rudy Giuliani, vem afirmando categoricamente que as eleições na Pensilvânia foram vencidas por Donald Trump. Mas ele não vem apresentando evidências concretas.

O fato é que Joe Biden aparece na frente na contagem oficial com mais de 80 mil votos de diferença na Pensilvânia. O estado, aliás, já certificou a vitória de Joe Biden. Assim, o democrata levou os 20 delegados do estado.

Apesar dessa nova derrota na Corte federal, o advogado de Trump afirmou que vai até as últimas consequências para tentar mudar esse resultado. Giuliani afirmou que vai levar o caso para a Suprema Corte, a instância mais alta do poder judiciário dos Estados Unidos.

Derrotas para Trump

Em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (26), Donald Trump afirmou pela primeira vez que pode deixar a Casa Branca quando o colégio eleitoral o der a vitória. O Colégio eleitoral deve se reunir no próximo dia 14 de dezembro.

Seja como for, o próprio Trump afirmou que uma possível vitória de Biden nessas eleições seria “um erro”. Trump decidiu não responder sobre a possível presença dele na posse de Joe Biden no dia 20 de janeiro de 2021.

Leia Também:

2 Comentários
  1. […] vejo vocês em quatro anos”, completou o presidente. O fato é que Trump vem sofrendo uma série de duras derrotas nos tribunais em relação ao processo eleitoral deste […]

  2. […] Meadows disse que a reunião se baseou “nas crescentes evidências de fraudes nas eleições presidenciais dos Estados Unidos”. Mas ele não apresentou de fato essas evidências. E na verdade a falta delas está fazendo o presidente perder todas as disputas nos tribunais dos EUA. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.