Coronavírus: Distrito de SP bate recorde e chega a 300 óbitos suspeitos

Esses dados foram contabilizados entre os dias 11 de março a 18 de junho pela prefeitura de São Paulo.

0

O bairro de Sapopemba, zona leste de São Paulo, alcançou uma marca nada positiva na última semana ao registrar 300 óbitos suspeitos pelo coronavírus.

Com 13,5 km², quase 285 mil habitantes e composto por 51 bairros, a região do Sapopemba desafia as autoridades e os riscos da covid-19 estão crescendo a cada dia

Esses dados foram contabilizados entre os dias 11 de março a 18 de junho pela prefeitura de São Paulo.

Assim, Sapopemba passou a Brasilândia, zona norte de SP, que antes tinha a pior situação da cidade, mas agora ocupa a segunda posição, com 277 mortes por covid-19.

Na sequência aparece o Grajaú, na zona sul, com outros 267 óbitos.

Veja a evolução do coronavírus em Sapopemba

Coronavírus: Distrito de SP bate recorde e chega a 300 óbitos suspeitos
Coronavírus: Distrito de SP bate recorde e chega a 300 óbitos suspeitos – Foto: Pixabay

A evolução do aumento de casos em Sapopemba chama a atenção.

Em 30 de abril, eram 101 óbitos pela covid-19, em 14 de maio passou para 152, em 28 de maio já eram 211, em 5 de junho subiu para 245 até chegar às 300 mortes em 18 de junho.

O número hoje tende a ser ainda maior, mas a prefeitura não divulgou um novo boletim epidemiológico.

Mas, mesmo com a divulgação de que a doença se espalha pelo distrito, os moradores têm dificuldades para entender a gravidade da situação.

Ou seja, isso acontece pelo fato da região abrigar moradias de baixa renda, e a alta concentração de pessoas por metro quadrado é muito alto, favorecendo a propagação da doença.

Além disso, é possível ver relatos nas redes sociais de moradores que relataram a existência de festas e bailes funk no bairro, indo ao contrário do que exige a quarenta.

Isolamento quase inexistente

Sapopemba é também um distrito com alta densidade demográfica. São mais de 21 mil pessoas por km², segundo dados da Secretaria de Subprefeituras. Em Marsillac, no extremo sul, são 41 pessoas por km², para efeitos de comparação.

Por isso, é um desafio manter esse isolamento, visto que as casas são pequenas e muitos moradores habitam o mesmo espaço, sem qualquer distanciamento.

Também, os moradores não têm reservas financeiras e lutam para sobreviver em meio à crise gerada pela pandemia.

Ações da Prefeitura para conter o covid-19

Numa ação de higienização que ocorreu há uma semana, tratores passaram pelas ruas do distrito e lançaram o produto. Nas vielas, o trabalho teve de ser manual. No entorno do hospital Sapopemba é comum a higienização.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que a região possui 25 UBSs, sendo quatro Integradas a AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) e uma AMA isolada que trabalha na identificação e tratamento da covid-19.

A Secretaria Municipal de Saúde ressaltou que os agentes comunitários de saúde realizaram, até 12 de junho, 1,2 milhão de abordagens nos bairros.

Ou seja, são realizadas visitas e orientações em cerca de 8 mil ações, levando em consideração as particularidades de cada território.

Já as equipes da Estratégia de Saúde da Família fazem visitas diárias às casas para orientar a população.

Esse trabalho também está presente em locais públicos, alertando sobre a doença, práticas e higiene.

Ainda em nota, a prefeitura informou que utiliza diversas ferramentas para divulgação.

Esse serviço conta com carro de som e cartazes, além de monitorar os casos com sintomas leves de gripe por telefone.

Portanto, se houver necessidade, é realizada uma visita domiciliar para saber se a pessoa está com o novo coronavírus.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.