Coreia do Norte decide não participar das Olimpíadas de Tóquio

0

A Coreia do Norte não participará das Olimpíadas de Tóquio, no Japão, devido à pandemia do novo coronavírus. A decisão foi tomada ainda em março, mas a notícia só foi anunciada na última segunda-feira (5) no site do governo Sports in the DPR Korea, que justificou a medida “para proteger os atletas da crise de saúde global causada pela Covid-19”. Os jogos, que começam em 23 de julho, deveriam ocorrer no ano passado, mas foram adiados por causa da pandemia.

Até agora, a Coreia do Norte sempre sustentou que não houve contágio no país, embora seja muito difícil acreditar que isso seja verdade. De fato, o regime interveio muito cedo para limitar o risco de propagação do vírus, adotando algumas das medidas mais drásticas do mundo.

Desde fevereiro de 2020, a Coreia do Norte suspendeu voos e trens de ida e volta para a China e impôs 40 dias de isolamento para quem chega do exterior ou quem teve contato com alguém que estava fora do país. Portanto, mais do que o dobro de grande parte do resto do mundo.

Boicotes da Coreia do Norte

As Olimpíadas de Tóquio serão os primeiros Jogos de Verão que a Coreia do Norte não participará desde que boicotou os Jogos de 1984 em Los Angeles, nos Estados Unidos, e os de 1988 em Seul, na Coreia do Sul. Além do valor esportivo, as Olimpíadas de Tóquio foram vistas como mais uma possibilidade de melhorar as relações diplomáticas entre a Coreia do Sul e do Norte.

Um primeiro passo nessa direção foi dado durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, na Coreia do Sul. Naquela ocasião, houve um aperto de mão histórico entre Kim Yo-jong, irmã do ditador norte-coreano Kim Jong-un e Moon Jae-em, o presidente sul-coreano. Foi também a primeira vez que um membro da família Kim colocou os pés na Coreia do Sul após a separação do país em 1948.

Leia também: Japão teme que possível quarta onda da Covid-19 atrapalhe Olimpíadas

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.