Confiança do setor de serviços interrompe dois meses seguidos de queda

O índice registrou leve alta de 0,8 ponto em dezembro

2

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 0,8 ponto em dezembro deste ano, na comparação com novembro. Com o resultado positivo, o índice interrompeu uma sequência de dois meses de queda e chegou aos 86,2 pontos. No entanto, apesar da alta registrada no último mês do ano, o ICS termina 2020 10 pontos abaixo do nível verificado em 2019 (96,2 pontos). Além disso, em médias móveis trimestrais, o indicador teve leve queda de 0,5 ponto. 

“Após dois meses de queda, a confiança do setor de serviços apresentou ligeira recuperação em dezembro. O resultado foi influenciado pela melhora dos indicadores que medem a situação atual e as expectativas. Apesar de favorável, é preciso ter cautela, pois consumidores ainda estão bastante receosos diante do aumento do número de casos e da incerteza em relação a chegada da vacina no Brasil. O cenário para os próximos meses é de continuidade da retomada, mas ainda existe um grande caminho até retornar ao nível pré-pandemia”, explicou o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Rodolpho Tobler. 

A saber, a FGV divulgou os dados do levantamento nesta terça-feira, dia 29. 

 

ICS sobe em 6 dos 13 segmentos pesquisados 

De acordo com a pesquisa o ICS apresentou acréscimo em 6 dos 13 segmentos pesquisados. Ou seja, menos que a metade. Contudo, o indicador conseguiu variar positivamente no período. Em resumo, o Índice de Situação Atual (ISA-S) subiu levemente em dezembro (0,9 ponto), mantendo o movimento ascendente iniciado em maio. Assim, chegou aos 80,7 pontos. Da mesma forma, o Índice de Expectativas (IE-S), que traz uma avaliação para os próximos meses, também avançou no mês (0,7 ponto), chegando a 92,0 pontos e quebrando dois meses seguidos de queda. Por outro lado, o Nível de Utilização de Capacidade Instalada (NUCI) recuou 0,6 ponto percentual, para 82,5%. Nesse caso, mesmo com a queda, o NUCI encerra o ano em nível superior ao registrado em dezembro de 2019 (81,9%). 

Por fim, vale ressaltar que houve ligeiro aumento da confiança no setor de serviços e nos principais segmentos pesquisados no quarto trimestre do ano. Contudo, o setor de serviços não conseguiu recuperar totalmente as perdas de 2020. Em síntese, recuperou 84,2%, puxado, principalmente, pela taxa de 92,6% de recuperação do segmento de serviços de transporte. Em contrapartida, os serviços prestados às famílias recuperaram apenas 61,1% das perdas.

 

LEIA MAIS

IGP-M desacelera em dezembro e sobe 0,96%, segunda FGV

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.