Chega a 40% a popularidade de Bolsonaro após o auxílio emergencial

1

Um pesquisa divulgada pelo instituto Ideia Big Data, mostrou que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro chegou a 40% após o pagamento do auxílio emergencial. Até o momento, essa foi a mais alta de 2020.

Segundo pesquisa, muitos brasileiros julgaram o governo como “ótimo” e “bom” e agora consideram “regular”. Sendo assim, mesmo com o aumento na aprovação, a avaliação piorou.

Isso acontece porque, na pesquisa, os ouvidos responderam se aprovam o governo de Jair Bolsonaro ou não. Os que responderam “sim”, poderia avaliar o mandato como “ótimo”, “bom” ou “regular”. Para quem respondeu “não”, poderia também responder “regular”, “ruim” e “péssimo”.

Já a pesquisa feita pelo Ideia/Exame, mostrou que quase todos avaliaram o governo como “ótimo” ou “bom”. Essa foi realizada antes do governo anunciar que diminuiria o valor do benefício e que o valor da cesta básica subiria.

Na pesquisa divulgada ontem, quase todos consideraram o governo “regular”. No período do levantamento foi confirmado o pagamento de R$ 300 do auxílio emergencial por mais quatro meses. Além disso, a alta da inflação e a falta de emprego deve puxar a popularidade do presidente para baixo.

Auxílio de R$ 300: pagamento da 6ª parcela começa na quinta

O novo Auxílio Emergencial, agora no valor de R$ 300, começará a ser pago em dois (2) dias. Para quem é mãe chefe de família, esse valor é em dobro, R$ 600 cada parcela.

As famílias que fazem parte do Bolsa Família receberão nas mesmas datas do benefício. Os que receberam a primeira parcela do benefício em abril terão direito ao saque da sexta parcela entre 17 e 30 de setembro, de acordo com o calendário (veja mais abaixo).

O calendário foi elaborado conforme o Número de Identificação Social (NIS) final do beneficiário. Os que estão fora do Bolsa Família ainda não foram definidas as datas de pagamento.

Vale ressaltar que o benefício do auxílio emergencial e o Bolsa Família não são benefícios cumulativos. Sendo assim, os beneficiários de ambos recebem apenas o que tem pagamento maior. Os demais beneficiários ainda não tiveram detalhes do novo calendário (clique aqui para conferir o calendário).

1 comentário
  1. Patrícia Diz

    Vamos passar agora vamos ver nas eleições. Nenhum desses não merece os nossos votos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.