Candidatos com renda menor tiveram mais dificuldade de vencer eleições, mostram dados

De acordo com os dados cruzados do próprio TSE, os prefeitos que conseguiram vencer, são em geral mais ricos do que seus adversários

0

Dinheiro. Esse foi um elemento central nas eleições municipais deste ano no Brasil. Pelo menos é isso o que mostra o cruzamento de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A influência existe mesmo depois do fim das doações de empresas.

De acordo com os dados do TSE, os prefeitos que se elegeram possuem em média uma faturamento 60% maior do que os candidatos que perderam. Isso significa dizer que eles são geralmente mais ricos do que os adversários.

Por consequência, isso revela que a maior parte dos trabalhadores mais pobres do Brasil encontram normalmente muita dificuldade para entrar nas posições de poder. Isso porque mesmo depois da mudança do financiamento, o dinheiro segue sendo um elemento vital das campanhas.

De acordo com os dados, a média dos rendimentos dos prefeitos que venceram chega a R$53.000. Já a média dos candidatos que perderam as eleições foi de R$33.000. Dessa forma, é uma diferença substancial.

Considerações

Mas é preciso considerar alguns outros pontos. Só pelos dados do TSE não dá para saber se as pessoas ganharam mais dinheiro dos partidos porque tinham mais chances de vencer ou se essas pessoas já fazem parte do círculo de poder.

Além disso, é preciso colocar nessa conta que a média dos candidatos que perderam as eleições para as prefeituras pode ter uma situação diferente porque o voto dos candidatos inexpressivos puxou a média para baixo.

Prefeitos eleitos

Os dados não consideram os números do segundo turno, até porque essa eleição ainda não aconteceu. Seja como for, os dados do primeiro turno já mostram uma dificuldade maior da população com renda menor de chegar aos postos de comando no Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.