Candidato à presidência, Pablo Marçal diz ser vítima de golpe interno em seu partido, que agora quer apoiar Lula

Nesta sexta, a ala do Pros que quer apoiar Lula voltou ao poder após uma decisão de Ricardo Lewandowski, ministro do TSE

0

O coach e influenciador digital Pablo Marçal, candidato à presidência da República pelo Pros, afirmou nesta sexta-feira (05) que está sendo vítima de um golpe interno em seu partido, que agora quer retirar sua candidatura, já registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A declaração foi feita durante uma entrevista coletiva, marcada após Ricardo Lewandowski, ministro do TSE, ter devolvido a presidência do Pros para Eurípedes Júnior, que estava afastado por suposto desvio de recursos. Assim com publicou o Brasil123, Eurípedes é pró-Lula e quer que o partido apoie o petista nas eleições deste ano.

A posição é diferente da de Marcus Holanda, que comandava o Pros desde março e escolheu Pablo Marçal como candidato. Na quarta-feira (03), uma decisão tomada por Jorge Mussi, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), devolveu a presidência do partido a Eurípedes Júnior.

No dia seguinte, a decisão foi derrubada. Na ocasião, Pablo Marçal foi ao Twitter comemorar a decisão e alfinetar Lula. “O Lula é tão ladrão que queria roubar a minha candidatura, mas ainda temos justiça nesse país”, disse ele. Porém, agora, a decisão que favorece Eurípedes Júnior volta a ser válida e a candidatura do influenciador novamente está ameaçada. Isso porque o antigo/novo presidente mandou marcar uma convenção, único ato possível para que a candidatura de Pablo Marçal, para esta sexta.

De acordo com o até agora candidato do partido, a convenção é a caracterização de um “golpe”, pois o encontro feito “dentro da lei” foi o de domingo (30), quando ele foi anunciado. Esse argumento acontece porque, de acordo com o regimento do partido, esses eventos só podem acontecer quando avisados com dez dias de antecedência. O problema é que o prazo para que as convenções aconteçam termina nesta sexta.

“Minha candidatura é um ato jurídico perfeito, dentro do prazo hábil. Tem que ter um prazo para a divulgação. O que está rolando agora é um golpe, estão fazendo uma reunião de maneira escusa”, disse. Ainda na ocasião, Pablo Marçal afirmou que irá recorrer da decisão apresentando, inclusive, novas provas de que Eurípedes cometeu irregularidades no partido.

Não suficiente, ele afirmou que vai acionar Organização das Nações Unidas (ONU) caso necessário. “Infelizmente vai ter judicialização. Ai daquele que mexer nessa candidatura, estará fazendo um ataque à democracia”, disse. De acordo com informações da “TV Globo”, Eurípedes Júnior se encontrou na tarde desta sexta com Lula, Geraldo Alckmin (PSB), e representantes do PT para definir o apoio à chapa Lula-Alckmin ainda no primeiro turno. Isso, logo após o anúncio da decisão de Ricardo Lewandowski.

Leia também: André Janones desiste da candidatura à presidência para apoiar Lula

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.