Bolsonaro nega racismo em reunião do G20

0

Em fala ao G20, Bolsonaro discursou sobre a própria percepção da realidade a respeito da população preta no país e afirmou que não há racismo ou discriminação racial, apesar da tentativa de “importar” esses problemas sociais para o Brasil. O discurso do presidente foi uma forma de reação as manifestações que ocorrorem na última sexta-feira, dia 20, após o assassinato de Beto Freitas por dois seguranças dos supermercados Carrefour.

O presidente foi deputado federal por 28 anos pelo estado, Rio de Janeiro, no qual o assassinato qualificado da vereadora, militante e mulher preta, Marielle Franco, há mais de anos aguarda explicações. É também no Rio de Janeiro, segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), cabo eleitoral do presidente, onde para cada 3 homicídios de jovens que acontecem, 2 são jovens negros.

De acordo com o Atlas da Violência 2020, o número de homicídios de pessoas negras cresceu 11,5% em onze anos, ao passo que caiu 13% nos outros grupos sociais. Em 2018, 75,7% das vítimas de homicídio eram pretas.

Entre 2008 e 2018, 628.595 pessoas foram assassinadas no país. Dentre elas, 91,8% eram homens e 8% eram mulheres. Entre os homens, 77,1% foram mortos por arma de fogo. Ao mesmo tempo, o risco de um homem negro ser assassinado é 74% maior  do que um homem branco.

Para completar, entre as mulheres assassinadas, as mulheres negras morrem mais. Em 2018, uma mulher era morta a cada duas horas no Brasil. Foram nesse mesmo ano 4.519 vítimas. Dessas, 68% eram mulheres pretas.

A fala de Bolsonaro

“Quero fazer uma rápida defesa do caráter nacional brasileiro, em face das tentativas de importar para o nosso território, tensões alheias à nossa história”, disse o presidente.

No entanto, Bolsonaro não citou qualquer fonte, número ou dados que comprovassem a inexistência de racismo no Brasil. Sobre as pessoas que supostamente estariam importando o racismo, também não disse quem seriam.

Veja o vídeo da fala postado no Twitter do presidente:

Segue o restante da fala presidencial sobre o racismo:

“O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações, somos um povo miscigenado. Brancos, negros e índios edificaram o corpo e o espírito de um povo rico e maravilhoso. Em uma única família brasileira podemos contemplar uma diversidade maior do que países inteiros. Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de luta por igualdade ou justiça social. Tudo em busca de poder! Não somos perfeitos, temos, sim, os nossos problemas. Existem diversos interesses para que se criem tensões entre nós. Um povo unido é um povo soberano. Dividido, é vulnerável. E um povo vulnerável pode ser mais facilmente controlado e subjugado. Nossa liberdade é inegociável. Como homem e como presidente enxergo todos com as mesmas cores, verde e amarelo. Não existe uma cor de pele melhor do que as outras, o que existe são seres humanos bons e maus. E são as nossas escolhas e valores que determinarão em qual dos dois grupos nos incluiremos. Aqueles que instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos, atentam não somente contra a nação, mas contra a nossa própria história.”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.