Bolsonaro estaria pressionando empresários para que eles não assinem carta da Fiesp pró-democracia

Ao todo, até o momento, 107 entidades empresariais como a Fiesp, Federação Brasileira de Bancos, entre outras, assinaram o manifesto

0

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), estaria pressionando empresários para que eles não assinem o manifesto pró-democracia que foi criado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e publicado em grandes jornais do país nesta sexta-feira (05).

A informação é do jornalista da “Globo News”, Valdo Cruz, que diz ter ouvido de empresários que o chefe do Executivo tem feito pressão para que os empresários e entidades do ramo não apoiem o manifesto, que foi intitulado “Em Defesa da Democracia e da Justiça”.

Ao todo, até o momento, 107 entidades empresariais como a Fiesp, Federação Brasileira de Bancos, Associação da Infraestrutura e Indústria de Base, Câmara Americana de Comércio, Fecomércio e Sindusfarma, entre outras, assinaram o manifesto.

No texto, não há menção ao presidente da República, que nos últimos meses vem atacando as urnas e, mesmo que sem provas, dito que o sistema eleitoral brasileiro não é confiável. Bolsonaro também tem feito ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e à Justiça eleitoral.

Todos esses temas atacados pelo chefe do Executivo foram citados no documento. Por conta disso, Bolsonaro afirmou que o manifesto é, na realidade, um ato político contra ele.

Segundo Valdo Cruz, empresários afirmam que receberam ligações de interlocutores de Bolsonaro que fizeram pressão para que eles não assinassem o documento. Na ocasião, esses aliados do presidente teriam destacado as medidas do chefe do Executivo em prol do setor empresarial e dito que a adesão ao documento seria classificado como uma prova de “ingratidão”.

De acordo com o comunicador, um empresário comentou que a pressão de Bolsonaro mostrava que ele estava confundindo a defesa da democracia com a missão do presidente em adotar medidas que fazem o Brasil crescer. Nesse sentido, os empresários avaliaram mal a atitude de Bolsonaro e entenderam que, com a pressão do presidente, ele acabou “reconhecendo que seus comentários atentam contra as instituições democráticas”.

Ataques de Bolsonaro às cartas

Nos últimos dias, Bolsonaro tem atacado os manifestos em prol da democracia. Nesta semana, assim como publicou o Brasil123, ele disse que as pessoas que assinam esses documentos são “cara de pau” e “sem caráter”.

Valdo Cruz revela que a própria equipe do chefe do Executivo tem considerado como mais um erro político os ataques de Bolsonaro às cartas em defesa da democracia. Para os aliados do presidente, suas falas acabam estimulando que mais entidades e personalidades assinassem o documento.

Conforme explicado no começo da matéria, o manifesto da Fiesp foi publicado nesta sexta em vários jornais. Bolsonaro foi convidado a assinar o documento, mas se negou. A leitura oficial da carta ocorrera na próxima quinta (11) no evento convocado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Na ocasião, também será lida a “Carta às Brasileiras e Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito”.

Leia também: Senado recebe pedido para impeachment de Augusto Aras

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.