Bolsonaro diz que Lula “continua criminoso” apesar de anulação do processo

2

Nesta quarta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que, apesar do STF ter julgado Lula como inocente, o petista continua como um criminoso. A Justiça Federal de Curitiba anulou os quatro processos no qual Luiz Inácio estava sendo julgado. Dessa forma, o mesmo poderá participar das eleições para a presidência no ano de 2022. 

Ele não está inocentado, foi anulado o processo. Ele continua criminoso. A imprensa está com eles”, disse a um apoiador que pediu, sem dar mais detalhes, a “repatriação” dos recursos de Lula.

Bolsonaro nesta quarta-feira 

Nesta manhã, o presidente também abordou sobre a CPI e disse, rindo, que deveriam investigar também o escândalo do leite condensado. 

Os gastos do governo foram liberados pelo Portal Metrópoles em janeiro de 2021, relevando assim, enormes investimentos em alimentação para as Forças Armadas: R$ 15 milhões em leite condensado, R$ 30 milhões em pizza, R$ 2,2 milhões em chicletes e muitos outros que, ao todo, somaram mais de R$ 1,8 bilhões. 

A CPI tem o intuito de investigar os gastos do governo em relação à pandemia da Covid-19 e as possíveis omissões federais.

O presidente pediu para que os senadores investigassem os governadores, que acusa de terem desviado os valores enviados para a compra de insumos. João Dória, governador de São Paulo, estado que teve mais de 102 mil mortes, é contra. Em escala nacional, o país contou, em pouco mais de um ano, com 15 milhões de casos. 

Além de abordar sobre o leite condensado, escândalo de janeiro, também questionou sobre a mídia dizer que ele tem um orçamento secreto para bancar pautas parlamentares. De acordo com Bolsonaro, a pauta foi votada há alguns meses e esperava apenas a liberação das verbas. 

E tem mais uma também: os R$ 3 bilhões do orçamento secreto. O parlamento votou o Orçamento por meses e eu sancionei lá, tem R$3 bilhões secretamente”, completou.

O Estado de São Paulo publicou no último domingo (09), uma matéria em que acusava o mesmo de ter montado um orçamento paralelo para que conseguisse melhorar a reputação dentro do governo e entre os parlamentares. O ministro Rogério Marinho falou sobre a acusação e divulgou uma emenda à RP9 liberada ao senador de oposição Humberto Costa (PT-PE).

 

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.