Bolsonaro diz que governador que fechar estado deve bancar auxílio emergencial

"Essa politicalha do 'fica em casa, a economia a gente vê depois' não deu certo e não vai dar certo”, afirmou Bolsonaro

6

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) voltou a polemizar sobre o assunto pandemia da Covid-19. Desta vez, durante sua visita a Caucaia, no Ceará, nesta sexta-feira (26), o chefe do Executivo disse que, daqui em diante, os governadores que fecharem seus estados é que devem bancar o auxílio emergencial.

Leia também: PEC Emergencial é adiada e provoca novo atraso no auxílio emergencial

“A pandemia nos atrapalhou bastante, mas nós venceremos este mal, pode ter certeza. Agora, o que o povo mais pede, e eu tenho visto em especial no Ceará, é para trabalhar. Essa politicalha do ‘fica em casa, a economia a gente vê depois’ não deu certo e não vai dar certo”, começou Bolsonaro.

Em seguida, o presidente disse que o país não pode dissociar a questão da Covid-19 da alta taxa de desemprego que o Brasil tem registrado. Para ele, os dois tópicos são dois problemas que o país tem que tratar de forma simultânea e com a mesma responsabilidade.

“O auxílio emergencial vem por mais alguns meses. Daqui para frente, o governador que fechar seu estado, o governador que destrói emprego, ele é quem deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do Presidente da República essa responsabilidade”, disse Bolsonaro.

Estados fechados 

A fala de Bolsonaro acontece em um momento em que vários governadores anunciam o endurecimento da quarentena em suas unidades federativas, a fim de conter a disseminação da Covid-19, principalmente por conta das novas variantes do vírus. O último estado a anunciar restrições foi São Paulo.

Nesta sexta (26), o governador João Doria (PSDB) anunciou o rebaixamento de várias cidades para a fase vermelha, a mais dura da quarentena no estado. Nela, somente serviços essenciais podem funcionar.

Na quinta-feira, conforme publicou o Brasil123, foi a vez do estado da Bahia anunciar o fechamento dos serviços não essenciais no estado. No Twitter, o governador do Bahia, Rui Costa, pediu a colaboração da população baiana. “Faço meu apelo que baianos e baianas compreendam a importância das medidas e respeitem o decreto estadual”, disse Rui.

Covid-19: estados estão ficando sem leitos 

Também nesta sexta (26), a Fundação Oswaldo Cruz revelou que a ocupação de leitos das unidades de terapia intensiva (UTIs) dedicadas aos infectados pela Covid-19 no Brasil chegou ao pior nível desde o início da pandemia.

Segundo o relatório, a proporção de leitos ocupados passou de 80% em 12 estados e no Distrito Federal. Além disso, 17 das 27 capitais do país também estão com um percentual próximo a esse patamar. Você pode ler a matéria completa sobre o tema clicando aqui

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram para acompanhar todas as notícias!

Leia Também:

6 Comentários
  1. Joel souza ribeiro Diz

    Estou com o presidente não podemos ficar em casa vivendo de quasquer auxilo seja lá de quanto for temos que ser forte encar pedir sempre força a deus e trabalhar … porquê o criador deixou escrito e bem claro quedo souor do fosto ganhará o teu sustento.

  2. […] Leia também: Bolsonaro diz que governador que fechar estado deve bancar auxílio emergencial […]

  3. […] Veja também: Bolsonaro diz que governador que fechar estado deve bancar auxílio emergencial […]

  4. […] ala política do Governo Bolsonaro já está pensando em um plano B para o Auxílio Emergencial. Em caso de não aprovação da PEC Emergencial, eles querem que o Congresso busque outras […]

  5. […] sexta-feira (26), o Presidente ameaçou não pagar a prorrogação do Auxílio Emergencial para estados em lockdown. De acordo com ele, nesses casos os Governadores é que teriam que pagar essa conta e não a […]

  6. […] presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) voltou a criticar o fechamento de comércios, estabelecidos por diversos governadores do Brasil, […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.