Bolsas da Europa fecham em alta com atenção voltada aos Estados Unidos

Investidores de todo o mundo aguardam novas informações sobre pacote de estímulos

0

As bolsas da Europa encerraram a sessão desta quinta-feira (14) no azul. A saber, o dia ficou marcado pela atenção dos investidores com novas informações sobre o pacote de estímulos dos Estados Unidos. Aliás, o presidente eleito, Joe Biden, deve divulgar um plano de recuperação da economia americana, propondo um aumento de US$ 2 trilhões. O objetivo dos gastos é ampliar o pagamento de trabalhadores, bem como ajudar governos locais e estaduais.

Dessa forma, com a expectativa nas alturas para uma enxurrada de dólares em circulação nos mercados, os ânimos dos investidores continua bem alto. Além disso, países de todo o mundo aplicam políticas de juros baixíssimos e, em alguns casos, até negativos, devido à crise da Covid-19. Ou seja, o momento atual, apesar dos riscos em torno da pandemia, oferece possibilidades de ganhos altíssimos, o que faz investidores deixarem um pouco de lado as notícias negativas sobre o coronavírus.

Aliás, as infecções e mortes provocadas pela pandemia da Covid-19 continua crescendo a cada dia. Por exemplo, a China registrou, nesta quinta, o maior número de casos da Covid-19 desde março do ano passado. Além disso, o país asiático confirmou oficialmente hoje a primeira morte provocada por Covid-19 em oito meses. Lá, diversos confinamentos já estão em curso para frear o avanço do coronavírus no país. Já os Estados Unidos bateram mais uma vez recorde de mortes em 24 horas, superando 4.300 vítimas.

 

Veja as principais variações das bolsas europeias

Em suma, apesar do pessimismo em relação à crise da Covid-19, o resultado do dia para as bolsas seguiu uma tendência positiva. O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 registrou alta de 0,72%, enquanto o índice Financial Times, em Londres, fechou a sessão subindo 0,84%. Da mesma forma, o DAX, que é o índice de referência de Frankfurtx, também registrou ganhos no dia (0,35%), bem como o CAC-40, em Paris (0,33%), e o Ibex 35, em Madrid (0,14%).

Por fim, apenas o índice Ftse/Mib, em Milão, fechou o dia no vermelho, recuando 0,47%. Em síntese, isso aconteceu após anúncio do ex-premiê Matteo Renzi sobre a saída de seu partido da coalizão governista. O receio é que isso possa desencadear uma eleição, já que a saída do partido remove a maioria do primeiro-ministro, Giuseppe Conte, no Parlamento italiano. Aliás, a Itália costuma ser vista como a economia mais fraca entre as principais da zona do euro.

 

LEIA MAIS

Intenção de consumo das famílias cresce pelo quinto mês seguido, aponta CNC

Indicador Antecedente Composto da Economia sobe em dezembro, diz FGV

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.