Bolsas da China caem com avanço da Covid-19 no país

Já ações asiáticas fora da China fecham o dia com alta firme

0

As bolsas chinesas encerraram a sessão desta terça-feira (19) no vermelho. E a principal causa do resultado negativo, mais uma vez, é o avanço da Covid-19 no país. Aliás, o recuo acontece após a alta firme no pregão de ontem (18), quando dados do Produto Interno Bruto (PIB) da China em 2020 superaram o esperado. Hoje, invertendo completamente o resultado de ontem, as bolsas chinesas caíram, enquanto as outras bolsas asiáticas tiveram um dia de ganhos.

Em resumo, cerca de 3 milhões de pessoas estão em lockdown na China, desde ontem, devido a um vendedor assintomático que infectou, ao menos, 30 pessoas. Vale lembrar que há outras regiões do país com a decretação de confinamentos obrigatórios em curso. Além disso, a Europa continua aplicando medidas de restrição rigorosas em diversos países. Nesse caso, os últimos dados estão indicando estabilidade, mas em nível ainda bastante elevado. E a cautela dos investidores é justamente o prolongamento desses lockdowns.

O país asiático, primeiro a ser atingido pela pandemia da Covid-19, está enfrentando o pior surto do novo coronavírus desde março do ano passado. E a solução é confinar as pessoas para tentar frear o avanço da Covid-19 no país.

 

Bolsas asiáticas fecham no azul

Apesar do resultado negativo na China, devido à pandemia, as bolsas asiáticas fecharam no azul. Do lado das quedas, ficaram apenas o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen (-1,47%), e o índice de Xangai, que perdeu 0,83% no dia. Da mesma forma, o índice de start-ups ChiNext despencou 2,1%, enquanto o STAR50 apresentou perdas de 2,1%.

Por outro lado, as maiores variações percentuais positivas vieram dos índices Hang Seng, de Hong Kong (2,70%) e KOSPI, em Seul (2,61%). Em seguida, ficaram o índice TAIEX, em Taiwan (1,70%), o índice Nikkei, em Tóquio (1,39%) e o índice S&P/ASX 200, em Sydney (1,19%). Por fim, o índice Straits Times, em Cingapura, apresentou a alta mais tímida do dia (0,18%).

 

LEIA MAIS

Confiança do empresário do comércio continua em queda no início de 2020

Dólar inicia pregão no vermelho, mas muda de direção e opera em alta

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.