Bolsas da Ásia despencam com receio envolvendo inflação e juros

Preocupações sobre reajustes de política monetária dominam pregão

1

As bolsas da Ásia encerraram o pregão desta quarta-feira (24) com quedas firmes. Em resumo, o dia ficou marcado por preocupações envolvendo inflação e juros. Isso porque os investidores temem que os bancos centrais ajustem suas políticas de taxas de juros em níveis super baixos. Além disso, muitos operadores repercutiram a subida nos rendimentos dos títulos soberanos, bem como a forma que essa movimentação afetará as ações.

Em resumo, os títulos vêm sendo elevados nos últimos meses por causa da injeção enorme de estímulos nas economias globais. Essas ações visam o enfrentamento da pandemia da Covid-19, além de disponibilizar subsídios para que as pessoas consigam superar os impactos provocados pela crise sanitária.

Assim, os movimentos dos rendimentos dos Treasuries, os títulos de dívida do governo norte-americano, marcaram presença no pregão desta quarta. A propósito, os títulos de 10 a 30 anos estão no maior nível em mais de um ano. E isso acontece devido às projeções de elevação da inflação nos próximos anos.

Dessa forma, os preços das ações tendem a diminuir proporcionalmente à elevação dos rendimentos dos títulos. Isso acontece porque os investidores preferem apostar em fluxos de renda mais estável, fornecidos pelos títulos.

Também vale ressaltar que o presidente do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos EUA, Jerome Powell, reforçou que o Fed continuará com a política monetária vigente. Assim, as taxas irão manter os juros baixos até as metas de inflação e emprego alcançarem o nível definido pela instituição financeira. Assim, o mercado de trabalho americano precisa retornar ao pleno emprego para que haja mudança na política monetária, segundo o Fed.

 

Bolsas asiáticas terminam em queda nesta terça

Diante disso, as bolsas asiáticas terminaram o dia no vermelho. Em resumo, o índice Hang Seng, de Hong Kong, registrou a queda mais acentuada desta quarta (-2,99%). Em seguida, vieram os índices KOSPI, em Seul (-2,45%), Shenzhen Composto (-2,03%) e Xangai Composto (-1,99%), ambos na China, e Nikkei, em Tóquio (-1,61%). Nesse caso, o temor de uma pressão monetária por parte do banco central chinês marcou o dia.

 

Por fim, o índice Straits Times, em Cingapura, registrou um raro ganho no dia, de 1,17%.

 

LEIA MAIS

Preços do petróleo atingem maior nível desde janeiro do ano passado

Bolsas americanas disparam nesta quarta (24), com elevação do otimismo

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.