Blogueiro bolsonarista voltará para a cadeia

Essa foi a segunda vez que o blogueiro descumpriu uma medida imposta pelo STF

1

Uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou, nesta sexta-feira (18), a prisão preventiva de Oswaldo Eustáquio, fervoroso blogueiro apoiador do governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido).

Leia também: Bolsonaro participa de formatura de 485 policiais da PM

Oswaldo cumpria prisão domiciliar. No entanto, pela segunda vez, descumpriu medidas de restrições impostas pelo STF – ele deixou sua casa e foi até o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

A decisão de Moraes veio após a Vara de Execuções Penais da Justiça do Distrito Federal afirmar que não houve nenhuma autorização para que Oswaldo deixasse a sua casa. O deslocamento foi constatado graças ao monitoramento eletrônico que o blogueiro tem usado desde novembro.

Oswaldo Eustáquio, blogueiro
Essa foi a segunda vez que o blogueiro descumpriu uma medida imposta pelo STF. (Foto: reprodução)

O blogueiro é investigado desde junho no inquérito que apura o financiamento e a organização de atos antidemocráticos. Durante os atos, manifestantes foram às ruas com pedidos inconstitucionais, como o fechamento do Congresso e do Supremo.

Na decisão, o ministro do STF relatou que, “após sucessivas oportunidades concedidas ao investigado, ele continuou a insistir na prática de atos que lhe foram vedados por expressa determinação da Justiça, situação que revela a inutilidade das medidas cautelares impostas”.

Dessa forma, afirma Moraes, “impõe-se, portanto, a decretação da prisão preventiva, haja vista que as medidas impostas não alcançaram o efeito disciplinar e pedagógico que eram esperados”.

Blogueiro é reincidente nas escapadas 

Esta não foi a primeira vez que o blogueiro sai sem autorização. Em novembro, o STF decretou a prisão domiciliar após descobrir que ele saiu de Brasília, cidade onde vive, sem que houvesse uma autorização judicial.

À época, ele viajou para São Paulo e postou nas redes sociais ataques contra o candidato à prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL). Depois do episódio, o ministro Alexandre de Moraes determinou uma nova busca e apreensão e a prisão domiciliar de Oswaldo, com tornozeleira eletrônica.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.