Bitcoin tem mais uma queda: perdendo R$ 2 mil a cada 5 minutos

0

Na tarde desta terça-feira (08), o Bitcoin teve nova queda e está custando abaixo de R$ 160 mil, a queda já soma quase 13% nas últimas 24 horas. Isso ocorre principalmente devido a uma quebra de contratos que pode desencadear um novo reajuste de preços. 

O Ether, como é bastante influenciável pelo BTC, está custando na faixa de R$ 11,9, com desvalorização que já é de 15%. Outras criptomoedas, como o Binance Coin, acumulou desvalorização de 16% nas últimas 24 horas. 

Os reajustes e quebras de contrato começaram a ocorrer logo após Elon Musk publicar nas redes sociais que o Bitcoin teria quebrado o seu coração. 

Analistas mais positivos argumentam que o preço tem fortes chances de subir novamente. Contudo, as expectativas são baixas, apesar do El Salvador afirmar que vai usar a criptomoeda como forma de pagamento oficial (o que, em teoria, deveria causar uma nova valorização). 

Tanto os Estados Unidos quanto a China são contra o uso do Bitcoin e de outras criptomoedas. Eles defendem o uso de dinheiro tradicional, seja impresso ou digital como o dólar e o Yuan. 

O Dogecoin, que já tinha passado por uma desvalorização de 11% na última sexta-feira (04), está com nova desvalorização que chega a quase 17% do valor. 

Não há dúvidas de que Elon Musk, dono da Tesla e também financiador do golpe na Bolívia, esteja influenciando na faixa de preços com as publicações em suas redes sociais. Atualmente, as criptomoedas que pareciam estar em ascensão, estão com forte vermelho e difícil recuperação. Alguns cogitam o estouro da bolha como em 2008: quando tem muita criptomoeda disponível para compra mas ninguém deseja investir, o mesmo aconteceu com os imóveis nos EUA há uma década. 

O Bitcoin, durante o meio dia, custou cerca de R$ 157 mil e, em questão de 5 minutos, perdeu mais de R$ 2 mil em valor. 

Bitcoin e dólar

De acordo com o Yahoo, o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu que a presença do BTC pode causar impactos negativos no dólar. 

 “O Bitcoin parece um esquema”, disse Trump na entrevista. “Eu não gosto dele porque é uma outra moeda que compete contra o dólar.”

O BTC também compete com o YUAN, moeda digital que foi criada pela China com o objetivo de facilitar as transações internacionais. Os impactos são tão negativos que a China estuda proibir instituições financeiras de transferirem criptomoedas. 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.