BioNTech testa eficácia da vacina contra nova variante da covid

1

A BioNTech se prepara para enviar 12,5 milhões de doses aos países da União Europeia até o final do ano. Ao mesmo tempo, a farmacêutica, testa a eficácia da vacina desenvolvida em parceria com a Pfizer contra uma nova cepa do coronavírus que surgiu no Reino Unido, altamente infecciosa.

O bloco europeu planeja uma campanha de vacinação de grande escala, sem precedentes. A vacina recebeu, na última segunda-feira (21), a aprovação da agência reguladora europeia, o que abre o caminho para a imunização na Europa.

Com duas injeções administradas com três semanas de intervalo, os suprimentos são suficientes para vacinar 6,25 milhões de pessoas dos 27 países-membros. O bloco quer distribuir as vacinas da forma mais igualitária possível, de acordo com as proporções populacionais de cada nação.

Os preparativos para o lançamento ocorrem no momento em que a identificação de uma nova variante da covid causa caos em toda a região. Mais de 40 países fecharam as ligações com o Reino Unido. Isso inclui não apenas o tráfego aéreo, mas também o transporte ferroviário e marítimo. 

Dessa forma, os bloqueios interrompem o comércio antes do feriado de Natal e faz crescerem os temores por falta de alimentos no Reino Unido. A imprensa internacional destaca que os temores dos consumidores ressurgiram depois que a França decidiu fechar temporariamente a fronteira com o Reino Unido no fim de semana. 

Vacinas e a nova cepa do coronavírus

O presidente-executivo da BioNTech, Ugur Sahin, disse que a empresa realiza testes para verificar se a vacina é eficaz contra a cepa variante. Os resultados das pesquisas devem ficar prontos nas próximas duas semanas. “Não há motivo para preocupação até que tenhamos os dados”, acrescentou Sahin.

Os 27 estados membros da União Europeia devem receber as vacinas no sábado (26), para iniciar a campanha de imunização no domingo (27). As injeções são produzidas nas fábricas da BioNTech, na Alemanha, e da Pfizer na Bélgica.

A Pfizer e a BioNTech disseram que esperam produzir 1,3 bilhão de doses em 2021. Executivos da empresa alemã de biotecnologia disseram que procuram maneiras de aumentar a capacidade de produção para atender à demanda global. A pandemia de covid-19 já matou cerca de 1,7 milhão de pessoas no mundo todo. 

Por outro lado, a BioNTech planeja iniciar a produção em fevereiro em seu novo estabelecimento, que comprou em setembro. A empresa disse que a instalação teria uma capacidade de produção anual de até 750 milhões de doses.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.