Belo Horizonte amanheceu com portas fechadas

A capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, entrou em lockdown. Anúncio do fechamento foi realizado na última quarta-feira (6).

0

Voltando ao início. É assim que BH amanheceu nesta segunda-feira. Da mesma forma como ocorreu em março, bem no início da pandemia, e logo depois, em junho. Nesta segunda-feira (11), os shoppings e lojas de rua fecharam novamente. O lockdown foi decretado pelo prefeito Alexandre Kalil e não tem data para acabar.

A exceção dos comércios que podem ficar abertos são aqueles considerados essenciais, como:

  • Supermercados e mercearias;
  • Postos de gasolina;
  • Padarias;
  • Açougues e peixarias;
  • Hortifrútis;
  • Farmácias e lojas de artigos médicos e terapêuticos;
  • Material para construção;
  • Bancos;
  • Lotéricas;
  • Bancas de jornal;
  • Praças públicas e zoológicos (com agendamento);
  • Restaurantes apenas para delivery e retirada.

Diferentemente do que estava acontecendo em outros fechamentos, dessa vez praças públicas ficarão abertas, mas, será necessário agendar a visita. Além disso, também, todos os comércios poderão funcionar no modelo de entrega e retirada.

Comerciantes protestam pelo fechamento em Belo Horizonte

De acordo com a prefeitura, mesmo com as novas regras, 82% dos comércios estão aptos a continuar funcionando. Entretanto, os comerciantes não gostaram muito da medida. Representantes do comércio fizeram protestos e pediram reunião com o prefeito.

O fechamento não tem data certa para acabar

A prefeitura levará em conta três indices para flexibilizar a quarentena: número médio de transmissão por infectado (RT), ocupação de leitos de enfermaria e ocupação de leitos em UTI.

Contudo, no momento, os dados não são otimistas. Divulgados na sexta-feira (8), indicam 83,3% de leitos de UTI ocupados, 1.938 mortes e 68.213 notificações da doença.

Chegamos ao limite da Covid-19. Nós avisamos, nós tentamos avisar. Tentamos manter a cidade aberta há 10 dias, quando os números ainda eram perigosos, mas nós tínhamos, pelo menos, uma expectativa de responsabilidade (…) O comerciante tem que se preparar porque sexta-feira nós estamos soltando um decreto voltando a cidade à estaca zero”, disse o prefeito Kalil, na última quarta-feira (6).

Os dados continuarão sendo constantemente monitorados, assim, avaliando sempre a possibilidade de mudança. Todavia, como os números não são previsíveis, não é possível definir o fim do lockdown em Belo Horizonte.

 

Fonte: G1

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.