Banco internacional assina empréstimo de US$ 350 milhões para o Brasil

O Banco de Desenvolvimento da América Latina já havia assinado a operação em agosto

1

O Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) informou nesta segunda-feira, dia 21, ter realizado a assinatura de um empréstimo de US$ 350 milhões. O valor, que corresponde a cerca de R$ 1,8 bilhão, irá seguir para o Ministério da Economia. O recurso será usado para enfrentar a crise gerada pela pandemia da Covid-19 no país.

A saber, o empréstimo havia sido aprovado pela instituição financeira e anunciado em agosto deste ano. No entanto, apenas hoje que houve a oficialização da operação. De acordo com o CAF, o objetivo é emprestar esse montante para que o Brasil consiga pagar os seus programas sociais. A propósito, entre esses programas, o valor deve ir, principalmente, para os gastos com o Auxílio Emergencial. Ou seja, trata-se de um programa que visa amparar o trabalhador que teve a sua fonte de renda prejudicada devido à pandemia do coronavírus.

À época, o CAF destacou que esperava que o empréstimo ajudasse o Brasil a complementar as suas medidas fiscais, bem como os setores econômicos e sociais mais vulneráveis. “O objetivo é promover a disponibilidade de recursos públicos para atender aos impactos econômicos e sociais gerados pela pandemia, por meio do pagamento de auxílio emergencial aos cidadãos mais vulneráveis do país”, disse o presidente executivo do banco, Luis Carranza Ugarte.

 

Veja mais detalhes do empréstimo

Em resumo, o CAF já ofereceu US$ 2,5 bilhões em linhas emergenciais de crédito para diversos países da América Latina. Além disso, o banco também ofereceu US$ 400 mil por país. No caso do Brasil, o objetivo continua sendo o de fortalecer a economia do país e minimizar os impactos provocados pela Covid-19. “O financiamento complementará as iniciativas fiscais já em curso no país e reforçará as medidas econômicas anticíclicas voltadas a reduzir os efeitos da pandemia do coronavírus no país”, afirmou o CAF em nota.

Por fim, vale ressaltar que a fundação do CAF aconteceu em 1970 e, atualmente, o banco é constituído por 19 países, dos quais 17 são da América Latina e Caribe. Os outros dois são Portugal e Espanha. Ao mesmo tempo, também possui 13 bancos privados como membros. Em suma, os principais acionistas são os cinco países da Cordilheira dos Andes: Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela. Já o Brasil participa como membro associado.

 

(Com informações da Agência Brasil).

 

LEIA MAIS

Prévia da inflação oficial do Brasil sobe em todas as regiões pesquisadas

IPCA-15 sobe 1,06% em dezembro, maior variação desde junho de 2018, diz IBGE

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.