Auxílio Emergencial: deputados lutam para benefício continuar nos R$ 600

6

A Medida Provisória (MP 1.000/2020) que pretende prorrogar o auxílio emergencial até dezembro, no valor de R$ 300, recebeu 262 emendas no Congresso Nacional. Esse é o momento em que deputados sugerem mudanças no texto original enviado pelo governo. Grande parte das emendas foram para aumentar o valor proposto por Jair Bolsonaro.

A MP enviada pelo governo visa autorizar o pagamento de mais quatro (4) parcelas, porém agora no valor de R$ 300, de setembro a dezembro. Esse valor é a metade do que foi pago nos meses de abril a agosto. Nessa prorrogação de pagamento, o beneficiário vai receber de forma automática, sem a necessidade de realizar um novo pedido.

Para o deputado José Guimarães (PT-CE), o valor deve permanecer nos mesmos R$ 600, conforme originalmente foi aprovado pela Câmara dos Deputados. Também se posicionaram a favor de um valor maior, os deputados Kim Kataguiri (DEM-SP) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Já a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) sugeriu o valor de R$ 600 para mães chefes de família, uma vez que as crianças na primeira infância precisam de mais recursos.

Calendário da 6ª parcela para o Bolsa Família

Primeira parcela de R$ 300

  • 17 de setembro: NIS de final 1
  • 18 de setembro: NIS de final 2
  • 21 de setembro: NIS de final 3
  • 22 de setembro: NIS de final 4
  • 23 de setembro: NIS de final 5
  • 24 de setembro: NIS de final 6
  • 25 de setembro: NIS de final 7
  • 28 de setembro: NIS de final 8
  • 29 de setembro: NIS de final 9
  • 30 de setembro: NIS de final 0

Segunda parcela de R$ 300

  • 19 de outubro: NIS de final 1
  • 20 de outubro: NIS de final 2
  • 21 de outubro: NIS de final 3
  • 22 de outubro: NIS de final 4
  • 23 de outubro: NIS de final 5
  • 26 de outubro: NIS de final 6
  • 27 de outubro: NIS de final 7
  • 28 de outubro: NIS de final 8
  • 29 de outubro: NIS de final 9
  • 30 de outubro: NIS de final 0

Terceira parcela de R$ 300

  • 17 de novembro: NIS de final 1
  • 18 de novembro: NIS de final 2
  • 19 de novembro: NIS de final 3
  • 20 de novembro: NIS de final 4
  • 23 de novembro: NIS de final 5
  • 24 de novembro: NIS de final 6
  • 25 de novembro: NIS de final 7
  • 26 de novembro: NIS de final 8
  • 27 de novembro: NIS de final 9
  • 30 de novembro: NIS de final 0

Quarta parcela de R$ 300

  • 10 de dezembro: NIS de final 1
  • 11 de dezembro: NIS de final 2
  • 14 de dezembro: NIS de final 3
  • 15 de dezembro: NIS de final 4
  • 16 de dezembro: NIS de final 5
  • 17 de dezembro: NIS de final 6
  • 18 de dezembro: NIS de final 7
  • 21 de dezembro: NIS de final 8
  • 22 de dezembro: NIS de final 9
  • 23 de dezembro: NIS de final 0

Quem não vai receber os R$ 300

  • aqueles que conseguiram emprego formal, após o recebimento do auxílio de R$600;
  • quem recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de auxílio emergencial;
  • a pessoa que mora no exterior;
  • quem tem renda mensal per capita acima de meio salário mínimo e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos;
  • os que receberam, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • se estiver preso em regime fechado;
  • quem tem menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes;
  • aqueles que tinham em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais;
  • quem, no ano de 2019, recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil;
  • possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal;
  • aquele que tenha sido incluído em 2019 como dependente de declarante do Imposto de Renda nas hipóteses 5, 8 e 9 acima na condição cônjuge, companheiro com o qual contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de 5 anos; ou filho ou enteado com menos de 21 anos ou com menos de 24 anos que esteja matriculado em estabelecimento de ensino superior ou de ensino técnico de nível médio.
6 Comentários
  1. […] diariamente as notícias sobre auxílio residual e emergencial, bem como outros direitos dos […]

  2. Solange mendes melo Diz

    deviam era ter vergonha n cara quem pagar somos nós contribuinte cadê que os deputados diminuem o salários deles pra ajudar esse monte de gente .

  3. Mislaine Diz

    E o projeto da prorrogação das parcelas do seguro desemprego, ninguém fala ou cobra porque? Só se fala e dão Ibope para o auxílio emergencial, porém existe uma outra grande parte de brasileiros que estão sendo prejudicados, pois o seguro desemprego recebida última parcela em Julho ,essas pessoas não tem direito ao auxílio Emergencial e aí como ficam?? Prorrogação das parcelas do seguro desemprego Já!!!

  4. Max Diz

    Mais fome, mais dívidas não sendo pagas, mais pobres passando aperto.
    Afinal ou você paga e não come, ou mora na rua e come.,is it the question.

  5. luana Diz

    Vivo do auxílio tenho 3 filhos…vamos maia libere

  6. luana Diz

    Vivo desse dinheiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.