Auxílio Emergencial aprovado: Nova parcela neste domingo

Os pagamentos serão disponibilizados para os nascidos em janeiro. Sendo 3,4 milhões recebendo o valor de R$ 300, e outros 200 mil beneficiários com direito de receber a parcela no valor de R$ 600.

0

Uma nova parcela do Auxílio Emergencial foi liberada neste domingo, 22 de novembro. No total, terão direito ao benefício cerca de 3,6 milhões de beneficiários. 

Os pagamentos serão disponibilizados para os nascidos em janeiro. Sendo 3,4 milhões recebendo o valor de R$ 300, e outros 200 mil beneficiários com direito de receber a parcela no valor de R$ 600.

Os contemplados de hoje (fora do Bolsa) poderão realizar, no primeiro momento, o pagamento de contas com o dinheiro creditado em sua conta poupança social digital da Caixa. Para quem deseja o dinheiro em espécie, deverá aguardar até o dia 19 de dezembro.

TODOS QUE PODEM MOVIMENTAR NESTE DOMINGO:

  • 200 mil beneficiários do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em janeiro, recebem a próxima parcela de R$ 600:
    – pedidos aprovados que já receberam 4 parcelas terão direito a quinta parcela;
    – pedidos aprovados que já receberam 3 parcelas terão direito a quarta parcela;
    – pedidos aprovados que já receberam 2 parcelas terão direito a terceira parcela;
    – pedidos aprovados que já receberam 1 parcela terão direito a segunda parcela.
  • 3,4 milhões de beneficiários do Cadastro Único e inscritos via site e app, janeiro em fevereiro, recebem a próxima parcela de R$ 300:
    – beneficiários que já receberam as 5 parcelas de R$ 600 terão direito a primeira de R$ 300
    – beneficiários que já receberam 1 parcela de R$ 300 terão direito a segunda parcela de R$ 300
    – beneficiários que já receberam 2 parcelas de R$ 300 terão direito a terceira parcela de R$ 300

Auxílio até março de 2021

O Governo Federal ainda encontra dificuldade para financiar o Renda Cidadã, programa que visa substituir o atual Auxílio Emergencial. Vários congressistas apoiam a ideia de estender o estado de calamidade por mais três meses, com o intuito de prorrogar também o auxílio.

Essa medida poderá ajudar o Governo na criação do programa substituto (ter mais tempo), uma vez que os beneficiários poderão ficar sem nada após finalizar o pagamento da última parcela do benefício, em dezembro.

O governo resiste em não ceder novas parcelas do benefício, mesmo com pressões dos congressistas. Logo no início da pandemia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu o pagamento de parcelas no valor de R$ 200, porém o Congresso aprovou R$ 600.

A prorrogação da calamidade pública está sendo citada na comissão responsável por acompanhar os gastos no enfrentamento ao novo coronavírus (covid-19).

O senador Vanderlan Cardoso, que é vice-líder do PSD e participa da comissão da reforma tributária, já se posicionou e afirmou ser favorável a prorrogação. Entretanto, o parlamentar diz que a ideia não é a vontade do governo.

“Eu acredito que vai se estender por pelo menos mais dois ou três meses, pelo menos no início do ano. Essa pandemia até o fim do ano não vai diminuir assim, e o decreto é o caminho”, disse o senador.

Leia também: Auxílio vai pagar quase R$ 2.000 até 31 dezembro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.